O holandês Stefan Smith, 37, e a mulher dele, a cearense Antônia Cláudia Marques da Silva, 24, foram indiciados por homicídio, ocultação de cadáver e maus-tratos após a polícia descobrir, no sábado (8), que um dos filhos do casal, um menino de 3 anos, estava morto desde a última quinta-feira (6), no flat em que a família morava em Fortaleza. 

De acordo com a delegada Mozarina Lacerda, titular do 2º DP (Distrito Policial), para a polícia não há dúvidas de que o casal matou a criança, por isso a delegada plantonista Juliana Pinheiro indiciou os acusados.

 

“As duas crianças viviam em estado deplorável. Os dois meninos tinham sinais de maus- tratos. Não tinham certidão de nascimento, nunca foram ao médico e nunca tomaram vacinas. A mãe das crianças disse que o marido saía e deixavam todos trancados, em cárcere privado”, disse Lacerda.

 

Segundo a delegada, a mãe relatou que o marido não gostava do barulho das crianças e “muitas vezes calava a boca delas com as mãos”.

 

Em depoimento, Smith nega que tenha culpa na morte da criança. Já Antônia Claudia contou à polícia que a criança caiu enquanto tomava banho, bateu a cabeça no chão e morreu. A uma TV local, ele disse que a morte foi “vontade de Deus”.

 

“Ela disse que o marido a impediu de chamar socorro porque ele estava com o visto vencido e poderia ser preso. Depois que notou que a criança morreu, achou que não precisava chamar a polícia. A acusada disse que o marido iria fazer o enterro da criança, mas não informou o local”, disse Lacerda.

 

O casal foi preso em flagrante, na noite do último sábado (8), após a polícia receber denúncias anônimas de vizinhos que estavam escutando gritos de uma das crianças dentro do flat.

 

O corpo da criança foi achado em cima de uma das camas e já estava em estado de decomposição. Segundo a polícia, foi encontrado em um dos cômodos do flat uma caixa de madeira e sacos de terra, que supostamente seriam usados para enterrar o menino.

 

O outro filho do casal, que tem 5 anos, está internado no IJF (Instituto José Frota) por apresentar desnutrição severa. Ele é portador de uma doença que não foi identificada pelos médicos e não sabe falar. 

 

Ele está sob a custódia do Estado e está sendo acompanhado por uma pessoa do Conselho Tutelar. A família de Antônia Cláudia, mãe dos meninos, que é natural do município de Camocim (a 370 km de Fortaleza), foi avisada. Uma tia do menino está acompanhando o caso em Fortaleza.

 

Apesar de morar num flat considerado de luxo, localizado a duas quadras da praia de Mucuripe, o holandês declarou à polícia que estava desempregado e não definiu qual era sua profissão. Ele estava em situação irregular no Brasil havia seis anos, com o visto vencido – mesmo período em que conheceu a mulher em Fortaleza.

 

O caso foi repassado para a PF (Polícia Federal) e para a Dececa (Delegacia de Combate à Exploração de Criança e Adolescente). A PF está levantando se Smith tem algum bem no nome dele e qual era a fonte de renda com que mantinha a família. O órgão disse que não vai repassar mais informações para não atrapalhar o andamento das investigações.

 

“Avisamos à Polícia Federal e ao consulado da Holanda sobre o caso. O acusado vai ser transferido para alguma unidade do sistema prisional ainda nesta semana e vai responder pelas acusações aqui no Brasil”, disse a delegada. O casal está detido na Delegacia de Capturas.

 

O holandês prestou depoimento na Dececa na tarde de segunda-feira (10). Sua mulher está sendo ouvida pela delegada Ivana Timbó, na tarde desta terça-feira (11).

 

 

(Alyni Gama, Uol Maceió)

Anúncios