Os bons ventos continuam a impulsionar a economia do Nordeste e principalmente a do Ceará , conforme o Boletim Regional do Banco Central (BC) divulgando ontem. O documento mostra que a região Nordeste foi a que mais cresceu, na comparação regional, entre os meses de dezembro de 2012 e fevereiro de 2013, com um Índice de Atividade Econômica Regional (IBCR) de 2,1%.  

E no Nordeste, o relatório aponta que coube ao Ceará a liderança no crescimento. O Estado registrou uma taxa de crescimento de 3,7% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2012. O percentual colocou o Ceará à frente da Bahia, que ficou com 3,1%, e de Pernambuco, que registrou 2,3%.

O pior desempenho ficou por conta da região Norte que registrou crescimento de apenas 0,2%. A região Sul teve um índice de 1% para o trimestre encerrado em fevereiro deste ano. As regiões Centro-Oeste e Sudeste, por sua vez, registraram 1,4% de expansão cada uma.

De acordo com o economista Flávio Ataliba, diretor geral do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), o bom desempenho da economia do Estado se deve, principalmente, aos investimentos públicos realizados nos últimos anos. Segundo ele, as gestões fiscal e orçamentária estão possibilitando que o Estado arrecade mais e invista os recursos em infraestrutura. Além disso, o economista destaca a crescente atuação do setor de serviços, que tem respondido pela maior taxa de crescimento do PIB estadual.

“O Estado tem sido responsável. Essa qualidade coloca o Ceará na vanguarda de inovações em termos de novos instrumentos de gestão pública. O reflexo disso, na ponta, é uma taxa de crescimento robusta e sustentável”. 

Arrecadação

Ainda segundo o Boletim do Banco Central, a arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias (ICMS) dos estados do Nordeste teve crescimento de 4,2%. O resultado favoreceu para o aumento de 5% no superavit dos estados.  

A Região também apresenta a maior margem para endividamento. Conforme o BC, há condição para a contração de R$ 23,2 bilhões em novas operações pelos governos estaduais.

O levantamento também revela que, no primeiro trimestre deste ano, os desembolsos destinados ao Nordeste por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) alcançaram R$ 4,9 bilhões, um incremento de 76,4% em relação ao mesmo período de 2012. 

O crescimento no Nordeste

Taxa de crescimento em 2012 Ceará – 3,7%

Bahia – 3,1%

Pernambuco – 2,3%

Crescimento do comércio varejista até fevereiro 8,5%

Crescimento da produção industrial 3,2%

Desembolsos do BNDES R$ 4,9 bilhões

Crescimento na arrecadação de ICMS 4,2%

Produção de grãos prevista para 2013 13,7 milhões de toneladas

Saldo negativo da balança comercial 
(primeiro trimestre de 2013) US$ 4,3 bilhões

IPCA 2,19%

Fonte: Boletim Regional do Banco Central

 

Índice de Atividade EconômicaRegional

Nordeste                        2,1%

Sudeste                         1,4%

Centro-Oeste                 1,4%

Sul                                  1%

Norte                               0,2%

(Marcelo Andrade, O Povo Online)