Pelo menos, seis quadrilhas de ladrões de bancos foram capturadas nas últimas três semanas pela Polícia cearense, graças a um trabalho articulado entre a Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), a Coordenadoria Integrada de Inteligência (Coin) da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) e a PM na Capital, região metropolitana e no Interior do Estado.

A Polícia tem comprovado que, na maioria dos casos, as quadrilhas ligadas aos casos de arrombamentos de caixas eletrônicos e cofres bancários são formadas por bandidos cearenses e de outros Estados, principalmente do eixo Sul-Sudeste. Os ladrões, conhecidos pela Polícia como ´caixeiros´, são especialistas neste tipo de delito. Utilizam técnicas de abertura dos equipamentos que misturam rapidez e precisão ao atingir as gavetas onde está o dinheiro.

Investigação

À frente das investigações está o delegado Romério Moreira de Almeida, titular da DRF. Ele explica que a união de esforços entre sua equipe e o auxílio dos setores de Inteligência e do policiamento ostensivo tem resultado na desarticulação de vários grupos, como o que foi apanhado por policiais do Ronda do Quarteirão no fim de semana passado em plena ação, dentro de uma agência do Banco do Brasil na zona Oeste da Capital.

Outra quadrilha foi capturada por agentes da Coin em uma pousada na Praia de Almofala, no Município de Itarema, no litoral Oeste do Estado. Entre os componentes do bando estavam dois bandidos fugitivos de uma penitenciária de Mossoró, no Interior do Rio Grande do Norte.

Outra quadrilha era formada por jovens de classe média que violou o caixa do Banco do Brasil instalado no interior de um supermercado, na Avenida Santos Dumont, na Aldeota. Entre os acusados, um jovem que estudou em colégios renomados de Fortaleza e que se especializou, segundo a Polícia, em violar caixas eletrônicos. “Ele aprendeu essa técnica na internet”, disse Romério Almeida.

A Polícia também descobriu, no decorrer das investigações, que este grupo tinha a cumplicidade de um segurança, que simulou ter sido rendido pelo bando dentro do supermercado. Mas, na verdade, o vigilante fazia parte da quadrilha. Ele recebeu parte do dinheiro que foi subtraído do equipamento bancário, mas foi descoberto e acabou preso e indiciado em inquérito.

Quadrilha

Conforme a Polícia, os quatro envolvidos no arrombamento do caixa eletrônico da agência do BB da Avenida Francisco Sá, no bairro Carlito Pamplona, permanecem presos na DRF.

Júlio César Nunes Machado, mais conhecido por ´Cesinha´, e Rodrigo Fernandes, 29, foram presos no dia do crime, por policiais militares do Ronda do Quarteirão e autuados em flagrante no 7º Distrito Policial (Pirambu). A ação criminosa rendeu R$ 13 mil, no entanto o dinheiro furtado foi recuperado. Após a prisão da dupla, os policiais da DRF e os agentes da Coin continuaram as investigações e prenderam os catarinenses Anaílton de Oliveira Coelho, 29, conhecido pelo apelido de “Tito”; e Drian Willian Hackbarth, 26.

Romério Almeida, descobriu que Rodrigo Fernandes, ao ser preso no 7ºDP, forneceu o nome falso de Ideraldo Luiz Wolf. Com essa identidade, ele foi autuado em flagrante, no ano passado, no 34ºDP (Centro), por crime de furto qualificado.

O delegado informou ainda que “Tito” é processado por crime de latrocínio (roubo seguido de morte), em Joinville, Interior de Santa Catarina.

“Ele está com prisão preventiva decretada pela Justiça catarinense e ainda responde, com os parceiros, a vários processos em São Paulo e também no Ceará. Os quatro indiciados agem em vários Estados. Rodrigo Fernandes, por exemplo, foi identificado, através das imagens gravadas pelas câmeras de segurança, no arrombamentos aos caixas eletrônicos das agências do BB na Avenida Pontes Vieira, do Santander na Avenida Desembargador Moreira; e do Bradesco na esquina das avenidas santos Dumont com Desembargador Moreira. O titular da DRF disse que está tem trocado informações sobre o bando com as polícias de São Paulo e de Santa Catarina.

Um maçarico e outros apetrechos utilizados para abrir os caixas eletrônicos na Avenida Francisco Sá estão apreendidos.

FERNANDO RIBEIRO/ FERNANDO BARBOSA
EDITOR DE POLÍCIA/REPÓRTER

(Diário do Nordeste)