Os cearenses têm costumes bem peculiares. Com a proximidade da Copa do Mundo, o regionalismo não pode ficar de fora, isso de acordo com o pedagogo João Lopes que acredita que um instrumento chamado “rói-rói”, pode ser a “vuvuzela” cearense, durante o Mundial.

A ideia surgiu no ano de 2010, quando João Lopes estava ministrando um treinamento no Mercado Central de Fortaleza em um programa de qualificação profissional e empresarial já preparando para a Copa de 2014.

“Eu lancei a ideia de, ao invés de vuvuzelas, termos o nosso bom e velho rói-rói. O tempo passou e como ninguém se manifestou e eu vi o Carlinhos Brown “lançando” a caxirola que, de original e cultural não tem nada, pois é uma cópia de um instrumento da capoeira (caxixi) com nome comercial”, afirmou o pedagogo.

A vuvuzela virou mania e foi a grande marca no Mundial daquele ano. Vendo toda a repercussão, João Lopes teve a ideia do “rói-rói“, instrumento tipicamente cearense para ser o diferencial da torcida na Copa de 2014, já que a Capital sediará 6 jogos da Copa do Mundo.

Diferentemente da caxirola, que custa quase R$ 30, o instrumento tipicamente cearense, não sairia por mais de R$2,50 no Mercado Central de Fortaleza.

João Lopes já está fazendo uma campanha com amigos e conhecidos pelo uso do rói-rói, além de divulgar nas suas redes sociais e no Youtube um vídeo, onde ele explica como é feito o instrumento e o modo de usá-lo.

Uso proibido das caxirolas

As caxirolas foram proibidas de serem utilizadas durante a Copa das Confederações e também na Copa do Mundo de 2014.

Créditos: Diário do Nordeste

Anúncios