José Carlos Pontes – Grupo Marquise

O empresário e engenheiro José Carlos Pontes, 61 anos, presidente do grupo Marquise, passou por cirurgia no hospital São Mateus para tentar recuperar a perna amputada após acidente com helicóptero em Guaramiranga, a 102 km de Fortaleza, no fim da manhã desta quinta-feira, 30. O procedimento cirúrgico durou seis horas. Começou às 16h e foi concluído às 22h. O estado de saúde dele é estável.

O POVO Online apurou que, após a cirurgia, o engenheiro foi levado para UTI e que ficará três dias em observação. A amputação foi acima do joelho direito do empresário.

Segundo informações apuradas pelo O POVO Online, mais cinco pessoas estavam no helicóptero, mas nada sofreram. Os outros ocupantes eram a sogra do engenheiro, Guiomar Marinho, a esposa Denise Pontes, o empresário Deib Otoch Jr, sua mulher Rafaela e um major da Polícia Militar (PM), que pilotava o helicóptero no momento do acidente. 

 

Imagem obtida pelo O POVO

  O subtenente Alexandre Barroso, do Corpo de Bombeiros de Guaramiranga, informou ao O POVO Online que, após o acidente, a vítima foi levada para o hospital da cidade e depois encaminhada ao Instituto Dr. José Frota (IJF), em Fortaleza, no helicóptero daCoordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer). 

O engenheiro chegou por volta de 13h ao IJF. Lá, também desembarcou em um outro helicóptero sua esposa Denise Pontes, que, abalada, também acabou sendo internada.

No IJF estavam o ex-senador Tasso Jereissati, o coronel Francisco Bezerra, titular da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), e o secretário da Casa Civil, Arialdo Pinho.

 

O ex-senador Tasso Jereissati conversa com médicos. Foto: Evilázio Bezerra

 De lá, o engenheiro foi transferido para o Hospital São Mateus. Uma equipe do  Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) com cinco médicos e cerca de dez policiais participou da transferência. Em contato com O POVO Online, o grupo Marquise enviou uma nota sobre o acidente.

O acidente

 

Imagem obtida pelo O POVO

De acordo com o major George Girão, coordenador de Operações do Corpo de Bombeiros, a aeronave, particular, tombou à esquerda após o pouso no sítio Tibagi, de propriedade do empresário José Carlos Pontes, por volta das 11h45min.

Segundo informações de hóspedes de uma pousada em frente ao sítio, o helicóptero teria subido e tombado no momento em que o engenheiro descia da aeronave. Neste momento, a hélice teria batido no chão e depois decepado a perna de José Carlos. Ele tinha sido o último a descer do helicóptero.

Segundo o subtentente Alexandre Barroso, a Polícia Civil irá ao sítio ainda nesta noite para investigar o acidente. Ainda de acordo com Barroso, amanhã a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) se deslocará ao local.

O sítio Tibagi, na região do Maciço de Baturité, é uma reserva ambiental particular, autorizada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). O POVO não foi autorizado a entrar no sítio.

(O Povo Online)
Anúncios