Faltando 15 dias para início da Copa das Confederações e há 21 dias para a realização do jogo Brasil e México em Fortaleza, a população na Capital cearense segue “indiferente” ao Mundial.

A Prefeitura, em conjunto com os governos Estadual e Federal, na tentativa de alavancar “o espírito da competição na Cidade”, lançaram, no último sábado (25) o Pacto pela Copa. Entretanto, mesmo com a proximidade do evento, os moradores se dizem “desanimados” em virtude dos diversos problemas estruturais que permeiam a Cidade, que não foram sanados com o advento do Mundial.

Apesar de ser um momento único para fomentar a economia da quinta maior Capital do Brasil, e mostrar ao mundo a cultura de Fortaleza, grande parte da população está apática ao evento. De acordo com o estudante Antônio Marcos, 22 anos, Fortaleza não está tão preparada e “estimulada” para a Copa das Confederações, em virtude da “realidade caótica” vivenciada hoje. Como exemplo, o estudante citou as obras inacabadas, que geram congestionamentos, a falta de transporte público de qualidade, e a insegurança.

“O transporte público está um caos, demora-se para chegar onde queremos, ônibus sempre lotados, metrôs ainda não foram concluídos. Saímos de casa preocupados se seremos assaltados ou não. Aguardo ansioso para ver como será durante a Copa e o depois, se realmente ficará para a Cidade um bom legado”,  afirmou.

DESCRÉDITO
Já a comerciante Rosária Fernandes, 43 anos, proprietária de uma loja de acessórios de festa, localizada na Rua Castro e Silva, no Centro, afirmou que o movimento no Centro não está maior, em virtude dos comerciantes e fornecedores não estarem “acreditando” que  a Copa das Confederações possa fomentar a venda de artigos especializados. Isto porque para o ramo, o evento não tem a mesma proporção da Copa do Mundo. “Poucas pessoas procuraram os enfeites, ainda nem tirei as peças do depósito que sobraram da copa passada. Não estamos acreditando neste evento que aqui durará cerca de quinze dias, diferente da Copa do Mundo”, alegou.

O secretário especial da Copa, Domingos Neto, afirmou que o pacto “é uma forma de mostrar às pessoas da Cidade que todos estão empenhados e colocando, literalmente, a mão na massa para fazer de Fortaleza uma das melhores cidades-sede por onde a Copa vai passar”. Domingos informou ainda que, muros e canteiros serão pintados e avenidas serão capinadas durante os preparativos.

PLACAS DE SINALIZAÇÃO
Conforme o Departamento Estadual de Trânsito do Ceará (Detran), nos últimos ajustes para que Fortaleza esteja apta a ser uma cidade-sede da Copa, o Estado  está  implantando 500 placas de sinalização para nortear os turistas e a população local, sobre o destino dos jogos, como os eventos paralelos, como as Fan Fests. As placas que permaneceram apenas durante o evento, onde será reutilizada para a Copa do Mundo, ano que vem, estão tendo um custo de R$ 4 milhões.

CONFUSÃO na ENTREGA DE INGRESSOS
O primeiro dia de entrega dos ingressos para Copa das Confederações foi marcado por atraso e confusão. No Centro de Eventos do Ceará, muitos torcedores não conseguiram receber suas entradas, porque não foram avisados, antecipadamente, que seria necessário realizar um agendamento prévio. Na tarde de ontem, o Centro de Distribuição de Ingressos divulgou uma nota, reconhecendo a falha e pedindo desculpas aos torcedores e alertando que apenas os que fizerem o pré-agendamento de horário pelo site da Fifa, poderão ser atendidos.

SECRETÁRIO ANUNCIA ATRAÇÕES DA FAN FEST
O secretário extraordinário da Copa, Domingos Neto, através de seu Twitter, anunciou ontem algumas atrações que se apresentarão na Fan Fest Fortaleza, no Aterro da Praia de Iracema. Aviões do Forró, Asa de Águia, Biquíni Cavadão, Carlinhos Brown, Diogo Nogueira, Forró do Bom, Forró do Movimento, Humberto e Ronaldo, Parangolé, Péricles, Sambô, Simone e Simaria e Tomate foram os nomes divulgados pelo secretário. As Fan Fest são espaços oficiais de exibição pública dos jogos do Mundial, onde espera-se a presença de milhares de torcedores. O evento criado na Copa de 2006, na Alemanha, foi repetido nos jogos na África do Sul, em 2010 e agora será executado no Brasil.

(O Estado)

Anúncios