Um asteroide gigantesco, nove vezes maior do que um transatlântico como o famoso “Queen Elizabeth 2”, passará muito próximo da Terra na sexta-feira, 31.

A rocha, batizada de “1998 QE2”, é escura e com uma massa muito densa, e passará a somente 6,3 milhões de quilômetros do nosso planeta, numa distância quinze vezes a que nos separa da Lua.

Apesar dos cientistas afirmarem que não oferece perigo, o asteroide atrai a atenção dos estudiosos por ter uma incrível semelhança em volume com aquele que supostamente dizimou os dinossauros.

Se entrasse em contato com nossa atmosfera, o pedregulho certamente provocaria no impacto com a Terra um evento cósmico de extinção global.

Mas, sem o temor do choque, os cientistas estão dando as boas vindas ao viajante do espaço, que oferecerá oportunidades únicas para a captação de imagens inéditas de alta resolução para o estudo da sua trajetória no futuro.

O “1998 QE2” foi descoberto em 19 de agosto de 1998, pelo pessoal do observatório do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, no Novo México. As estimativas sobre seu tamanho variam, mesmo com o telescópio Spitzer tendo ajustado seu diâmetro para 2,7 metros em 2010.

O asteroide se aproxima da Terra a cada quinze anos e terá nessa passagem a máxima aproximação neste século. Os cientistas estão preparados para seguir seu rastro com equipamentos de última geração no Deep Space Network da NASA, na Califórnia, e no Observatório de Arecibo, em Porto Rico.

A origem da grande rocha pode ser um fragmento de um cometa que voou muito perto do Sol ou então trata-se de um dos muitos elementos do cinturão de asteroides que há entre as órbitas de Marte e Júpiter, dizem os especialistas do Laboratório de Propulsão a Jato, em Los Angeles.

Créditos: http://portalnoar.com/alexmedeiros/grande-asteroide-se-aproxima-da-terra/

Anúncios