Um vídeo com o desabafo de um adolescente de 12 anos, vítima de bullying escolar por homofobia, vem ganhando repercussão no Youtube e nas redes sociais. Talvez pela eloquência e sinceridade de um ser tão jovem, ou pela angústia que o garoto consegue transmitir em apenas seis minutos de gravação.

Até esta sexta-feira (24), o vídeo intitulado “Gay” registrou mais de 200 mil visualizações, sendo que a versão legendada em português foi assistida mais de 80 mil vezes.

homofobia menino gay 12 anos

No material, postado no dia 6 deste mês, Theo Chen, morador de Cingapura, relata que os maus-tratos e as brincadeiras maldosas aumentaram nos últimos dois meses.

Eu recebi muito ódio online no Ask.FM, Facebook, Youtube (…). Eles basicamente me chamam de bicha ou gay, boiola, coisas assim”.

O bullying seria praticado por internautas, amigos e colegas de escola e teria piorado depois que Theo começou sentir o gostinho da fama por causa do seu canal “Theo Chen”, no Youtube, o tornando uma espécie de “webcelebrity” – celebridade da internet.

Em outro vídeo mais recente, ele dança, dubla a música “Sweet Nothing” de Calvin Harris, além de fazer caras e bocas. Com um dia de postagem, essa publicação havia alcançado 1.076 exibições. Ele também aparece dublando artistas como P!Nk, Bruno Mars e Nick Minaj, e até mesmo falando sobre coisas da vida.

Apesar de os comentários serem de cunho homofóbico, Theo afirma, sem pudores, que ainda não sabe afirmar se é gay.

“A verdade é que eu realmente não sei. Vocês pelo menos sabem quantos anos eu tenho? Eu tenho 12 anos, e vocês me chamam de gay? E o que importaria se eu fosse gay? Eu achei que este mundo fosse livre. Vocês não deveriam julgar as pessoas pela sexualidade, mas pela personalidade”.

Em outro momento, ele afirma que, por enquanto, prefere garotas. “Agora eu gosto de meninas, não penso que sou gay neste momento. Não que haja algo errado em ser gay. Ser gay é legal. Não há nada de errado.”

A intenção de Theo ao expor os sentimentos, segundo ele, era fazer com que as pessoas pensassem sobre o que dizem. O menino ainda lamenta e diz que gostaria de estar aproveitando a escola, mas não pode, porque as pessoas o atormentam o tempo inteiro.

Assista abaixo ao vídeo legendado:

com agências e R7

Anúncios