Vitória conquista o 27º campeonato baiano de sua história – Eduardo Martins – Ag. A Tarde

Não veio o triunfo, como esperado pelos torcedores, mas nada que tenha manchado a conquista do título de campeão baiano pelo Vitória. Com um empate em 1 a 1 no Barradão contra o Bahia, o rubro-negro baiano conquistou o 27º campeonato estadual de sua história.

Dinei, artilheiro do último Ba-Vi quando marcou quatro gols, abriu o placar para o rubro-negro aos 18 minutos do primeiro tempo. Fernandão marcou o gol do Bahia aos 21 minutos da segunda etapa.

O jogo – Mesmo com a ampla vantagem de poder perder por até quatro gols, o Vitória começou no ataque, pressionando o Bahia, que apenas se defendia e tentava evitar o gol do rivais rubro-negros.

Logo aos cinco minutos, o Leão deu o seu cartão de visitas. Após cruzamento de Renato Cajá, a bola sobrou para o zagueiro Gabriel que, sozinho, dentro da área, chutou por cima do gol de Omar.

O lado esquerdo da defesa do Bahia era o local preferido para os ataques do Vitória, com o lateral Nino fazendo boas jogadas. Em um vacilo do lateral do Bahia Jussandro, os rubro-negros abriram o placar. Nino chutou rasteiro na área e Dinei, em posição duvidosa, marcou o gol.

Mesmo na frente no placar, o Vitória continuava pressionando o Bahia, que não conseguia assustar o goleiro Wilson. Aos 40 minutos, o Leão quase marca o segundo em uma falha do goleiro Omar e o zagueiro Titi, que trombaram dentro da área. Jussandro salvou o Bahia, tirando a bola em cima da linha.

Perto do final da primeira etapa, um fato inusitado no Barradão. Um cachorro invadiu o gramado e parou o jogo por dois minutos, atravessando todo o gramado até ser retirado de campo.

Segunda etapa – Com o título já praticamente assegurado, o Vitória desacelerou no segundo tempo e acabou dando espaço para o Bahia, mesmo sem chegar muito ao ataque, conseguir conquistar o empate no jogo.

Aos 18 minutos, o atacante Fernandão aproveitou uma falha da defesa do Leão e empatou a partida. Mas nada que abalasse a bela festa feita pela torcida do rubro-negro, que conquistou o 27º título de sua história, sem perder para o seu maior rival em quatro clássicos. Foram três triunfos (5-1, 2-1 e 7-3) e um empate (1-1), deixando o Bahia em uma das piores crises vividas em todos os tempos.

(A Tarde)