A um mês de “competição-teste”, obras marcam principal via de acesso ao Castelão (Foto: André Teixeira/G1)

A um mês da Copa das Confederações, evento considerado pela Fifa o principal teste para a Copa do Mundo de 2014, nenhuma das obras de mobilidade urbana planejadas para facilitar a chegada à Arena Castelão está pronta. Considerando as quatro vias de acesso ao estádio, todas em construção ou adaptação, apenas 52% do trabalho foi realizado. Em uma das ruas, a construção de túneis começou apenas no último dia 11. No entorno da arena, máquinas e materiais dificultam o acesso, também prejudicado pela lama ou por poeira.

O Castelão será palco de três partidas da Copa das Confederações, sendo a primeira delas entre Seleção Brasileira e México, no dia 19 de junho. Na Copa do Mundo de 2014, o estádio vai receber seis jogos, sendo um deles, na primeira fase, do Brasil.

G1 percorreu a capital cearense para avaliar as obras de mobilidade urbana planejadas para a Copa de 2014, além de fazer um balanço de alguns serviços que serão importantes para receber os visitantes e da expectativa dos moradores com os eventos. Confira como está a situação na cidade:

Acesso ao Castelão
O secretário da Copa do Mundo de Fortaleza, Domingos Neto, garante que as obras viárias ainda em construção vão garantir o acesso à nova arena até o início do evento. “Vamos garantir o sistema viário de acesso à Arena Castelão pronto para a Copa das Confederações. Já iniciamos a parte do concreto na via. A prefeitura tem dado prioridade, tem estado diariamente no canteiro de obra, para entregar para Fortaleza uma obra importante”, afirmou.

As avenidas Dedé Brasil, Paulino Rocha, Raul Barbosa e Via Expressa vão ser ampliadas e receber melhorias. O plano para a reião também prevê que túneis e viadutos sejam construídos para que o trânsito flua mais rapidamente.

“A Fifa, junto com o Ministério das Cidades, define as áreas de acesso que fazem parte de áreas protocolares. Ela exige também o fluxo de pedestre em boas condições. A prefeitura está recapeando e fazendo operação de meio fio para isso”, disse Domingos Neto.

No último dia 9, o show do ex-beatle Paul McCartney atraiu cerca de 50 mil pessoas ao Castelão e foi considerado uma prova para avaliar o equipamento. O evento gerou extenso engarrafamento na cidade. “Estamos avaliando os erros que geraram esse engarrafamento e vamos evitá-los”, prometeu o secretário da Copa.

Metrô, VLT e aeroporto
O Metrô de Fortaleza ainda funciona em fase de teste, somente pelo horário da manhã e sem cobrança de passagem, enquanto que o Veículo Leve sobre Trilho (VLT) ainda está no início da implantação.

Segundo último balanço divulgado, a reforma do Aeroporto de Fortaleza tem apenas 12% das melhorias concluídas. Com isso, turistas estrangeiros e de outros estados que chegarem à cidade pelo local encontrarão o terminal em obras.

Obra pronta só depois de 2014
A estratégia da prefeitura é desenvolver obras em etapas e deixá-las parte delas concluídas antes dos eventos. A região da Praia de Iracema, por exemplo, terá a reforma concluída em 2015. Até o período da Copa, em 2014, os turistas poderão contemplar parte da reforma, segundo o secretário de Turismo de Fortaleza, Salmito Filho.

“As obras de ampliação das ruas só vão começar depois da Copa. Os turistas que chegaram aqui não vão ver ruas quebradas, mas vão poder ver e contemplar a praia na Beira Mar reformada”, disse.

As obras na Via Expressa, considerada o “Corredor da Copa”, terão sete etapas, que serão concluídas até junho de 2014. Serão construídos três túneis e três viadutos. Além do túnel da Avenida Santos Dumont, serão construídos túneis nos cruzamentos da Via Expressa com a Avenida Padre Antônio Tomás e com a Avenida Engenheiro Alberto Sá.

Para o período da Copa das Confederações, a prefeitura organiza uma festa de São João especial. “É a forma da gente apresentar a cultura nordestina à toda a mídia e turistas”, disse Domingos Neto.

Bares e hotéis
O setor de serviços de Fortaleza ainda não “entrou no clima” dos eventos. Representantes da hotelaria e de bares e restaurantes dizem que a Copa das Confederações será um teste para a Copa do Mundo e que estão investindo, mas reconhecem que os gargalos dos setores não vão ser resolvidos até o mês de junho nem, talvez, até a Copa de 2014.

Para o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes no Ceará (Abrasel-CE), Ivan Assunção, o maior problema é a mão de obra. “O que mais ouço dos empresários é a dificuldade para montar o quadro de funcionários. O grande gargalo é muito mais a captação do que a qualificação. O setor de alimentação fora do lar é o segundo que mais emprega, mas mesmo assim não consegue captar”, afirmou. As principais faltas são para os cargos de garçons, ajudantes de garçom, serviços gerais e cozinheiros.

Junho é considerado um mês de baixa estação, mas, com a Copa da Confederações, o movimento esperado deve ser maior. “A tendência é ter movimentação como na alta estação. O nosso setor vai sentir agora como será a Copa do Mundo”, disse.

O setor hoteleiro considera que a Copa das Confederações não pode ser comparada à Copa do Mundo. “Será um evento menor que a Copa do Mundo. Fortaleza não deve lotar”, afirmou o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Ceará (Abih -CE), Régis Medeiros. De acordo com a entidade, a ocupação hoteleira no período do evento esportivo deve chegar a 70%, com picos nos dias dos jogos da seleção brasileira na capital cearense (veja o balanço dos bares e hotéis).

Moradores alugam casas
O cenário na Avenida Alberto Craveiro, principal acesso à Arena Castelão, em Fortaleza, é de obra por todos os lados. Parte do terreno das residências foi desapropriado para alargamento da via. Com o dinheiro recebido pela desapropriação, moradores reformam as casas com um objetivo em comum: alugá-las durante o período da Copa das Confederações e da Copa do Mundo. O valor nos anúncios chega a R$ 50 mil (leia mais aqui).

(André Teixeira, G1 Ceará)