O irmão do cantor sertanejo Zezé di Camargo volta a se envolver em ocorrência policial. Werley José di Camargo, de 36 anos, foi preso na noite desta quinta-feira por embriaguez ao volante depois de provocar um acidente envolvendo outros dois carros em Belo Horizonte. Ninguém ficou ferido. Em 2007, o não pagamento de pensão alimentícia o levou para a prisão duas vezes na Grande BH. Já em setembro do ano passado ele foi detido em uma casa de jogos clandestinos na capital mineira.

De acordo com a Polícia Militar, Werley conduzia um Kia Cerato pela Avenida Cristiano Machado, sentido Centro – Bairro, quando bateu na traseira de uma Fiorino, que acabou atingindo um Gol. A batida ocorreu quase em frente ao Minas Shopping, Região Nordeste da cidade. Nenhum ocupante dos carros se feriu.

Quando policiais militares chegaram no local para registrar a ocorrência perceberam que Werley apresentava sinais visíveis de embriaguez. Ele foi submetido ao teste do bafômetro que apontou a presença de 1,38 miligramas de álcool por litro de ar expelido. Acima de 0,34 o motorista já é enquadrado em crime de trânsito e responde processo criminal.

Werley foi levado para a Delegacia do Detran. Até as 23h30 o delegado de plantão ainda não havia analisado a situação. A legislação prevê que o condutor embriagado tenha a CNH recolhida e seja multado em R$ 1.915. Em caso de crime de trânsito, quando o percentual de embriaguez ultrapassa o limite de 0,34, o motorista é preso e pode ser liberado mediante o pagamento de fiança.

Prisões anteriores

Em 2007, Werley di Camargo foi preso duas vezes em cumprimento de mandado de prisão por não pagamento de pensão alimentícia à ex-mulher. A primeira vez foi em fevereiro, em Nova Lima, na Grande BH, depois de um show dele que formava a dupla “Marcelinho de Lima & Camargo”. Naquela ocasião, sua dívida com a ex-mulher chegava a R$ 107 mil. Em dezembro do mesmo ano foi preso novamente após um show em Betim.

Já em setembro do ano passado, Werley foi flagrado em uma casa de jogos de azar na Savassi, em Belo Horizonte. O local foi alvo de denúncia anônima e a Polícia Militar surpreendeu os apostadores. Ao todo, nove jogadores foram detidos e encaminhados à delegacia para prestar depoimento.

(Estado de Minas)

Anúncios