Por: Marcela de Freitas

A candidatura à Presidência da República de Eduardo Campos (PSB) gerou um grupo de apoio, formado por socialistas, no Estado do Ceará, onde o diretório da sigla está nas mãos dos irmãos Ferreira Gomes, Cid (governador) e Ciro (ex-ministro).

Cid e Ciro já deixaram clara a antipatia à candidatura de Campos e o apoio total a presidente Dilma Rousseff (PT). Diante deste quadro, o pernambucano encontrou como saída o apoio de alguns opositores, que agora torcem pela saída de Cid e Ciro do PSB até outubro próximo.

Esse racha no PSB cearense acontece desde a entrada dos Gomes no partido, em 2005, à qual os militantes mais antigos foram contra. Inicialmente houve convivência pacífica no PSB do Ceará. No entanto, as divergências começaram a crescer em 2009, quando Cid assumiu o comando da legenda.

O ex-deputado federal e integrante da Executiva Nacional do PSB, Sérgio Novais, e a deputada estadual, Eliane Novais, são os principais nomes que se opões aos irmãos. “É imprevisível o desfecho aqui no Ceará. Se a candidatura [Campos] se consolida, vai gerar uma situação de rompimento com os Gomes”, afirmou Novais.

Do outro lado, os aliados de Cid Gomes afirmam que os dissidentes são pouco representativos no estado.

(Portal Ceará Agora)

Anúncios