Collins, "o atleta gay", segundo a SI
Collins, “o atleta gay”, segundo a SI

Em entrevista à prestigiada revista “Sports Illustrated”, o jogador de basquete Jason Collins quebrou um tabu e tornou-se o primeiro atleta das quatro grandes ligas norte-americanas – além da NBA, na qual atua, fazem parte do grupo a MLB (beisebol), a NFL (futebol americano) e a NHL (hoquei no gelo) – a assumir publicamente a homossexualidade.

Collins tem 34 anos e atua como pivô. Conhecido pelo estilo de jogo viril, ele foi companheiro dos brasileiros Leandrinho e Fab Melo, no Boston Celtics, e Nenê, no Washington Wizards, durante a última temporada. O jogador afirmou que não tinha como objetivo ser um pioneiro na questão do homossexualismo nos esportes:

“Eu não tinha a intenção de ser o primeiro atleta assumidamente gay em uma grande liga norte-americana. Mas já que sou eu, fico feliz por iniciar o debate”, declarou à revista.

Segundo Jason Collins, sua opção sexual era um segredo para todos na NBA. Apenas seu irmão, Jarron, que também atua como pivô na liga, sabia de sua condição:

“Quando eu era mais jovem eu namorei mulheres e até fiquei noivo. Eu pensei que eu tinha que viver ‘do jeito certo’. Eu pensei que eu precisava me casar com uma mulher e criar filhos com ela. Eu continuei dizendo a mim mesmo que o céu estava vermelho, mas eu sempre soube que era azul”, recordou.

Ataque à maratona de Boston motivou revelação

Collins apontou o recente atentado à maratona de Boston como um dos fatores que lhe fizeram decidir por assumir-se como gay. Segundo ele, o episódio lhe fez ver que nem sempre se pode esperar o momento ideal para se assumir:

“A recente bomba na Maratona de Boston reforçou a noção de que eu não deveria esperar que as circunstâncias de revelação fossem perfeitas. As coisas podem mudar em um instante, então por que não viver a verdade?”, questionou.

Com o debate em torno dos direitos dos homossexuais respaldado pelo presidente Barack Obama durante sua cerimônia de posse, parte da sociedade americana demonstrou estar preparada para superar preconceitos. Para o pivô, atualmente sem equipe, esse momento torna mais fácil sua situação:

“Eu vou contra o estereótipo gay, e é por isso que eu acho que um monte de jogadores ficarão chocados: Esse cara é gay? Mas eu sempre fui um jogador agressivo, mesmo no Ensino Médio. Tenho 34 anos de idade. Sou negro. Sou gay”, desabafou.

Ídolos do basquete apoiam decisão

Diversos jogadores da NBA vieram a público através das redes sociais demonstrar apoio incondicional à atitude de Jason Collins. O astro Kobe Bryant, ala-armador do Los Angeles Lakers, disse estar orgulhoso:

“Orgulho de Jason Collins. Não esconda quem você é por causa da ignorância dos outros”, afirmou o ícone no Twitter.

Seu companheiro de Los Angeles Lakers, o armador canadense Steve Nash, também comemorou a revelação:

“O tempo chegou. Máximo respeito”, afirmou.

Outro a elogiar a postura de Collins foi o armador Baron Davis, que teve passagens por Golden State Warriors, Los Angeles Clippers, Cleveland Cavaliers e New York Knicks:

“Estou tão orgulhoso por meu irmão Jason Collins estar sendo real”, postou no Twitter. 

(Jornal do Brasil)

Anúncios