finale

Bastaram menos de 72 horas, desde o início das vendas das entradas para o UFC Fortaleza (TUF Brasil Finale 2), na última quinta-feira, 26,  para que os dois primeiros setores do Ginásio Paulo Sarasate se esgotassem. O lote de ingressos que já não estão mais à venda fazem parte dos mais elevados de todo o evento.

De acordo com o site Tickets for Fun, acabaram as vagas para as cadeiras Premium  e Especial, que custavam, respectivamente,  R$ 800 e R$ 600 (R$ 400 e R$ 300 a meia).
Conforme o site de vendas, todos os três tipos de ingressos disponibilizados para esses dois tipos de lugares estão esgotados. São eles assento marcado, inteira e meia-entrada.

Quem quiser sentir a emoção dos combates mais de perto ainda pode desembolsar R$ 1,2 mil para os assentos da Categoria Premium ou ainda ir para a arquibancada e ver de longe os ídolos Rodrigo Minotauro Nogueira e Fabrício Vai Cavalo Werdum duelarem.

Preços repercutem

A estudante de nutrição, Nayara Ney Cavalcante, não deverá ver seu ídolo por conta dos preços, consdierados elevados para o orçamento dela.  “Sou muito fã do Ronny Jason e tenho grande vontade de conhecê-lo e assistí-lo no octógono. Mas os ingressos estão caríssimos. Não tem a miníma possibilidade de um estudante se dispor de um gasto assim tão alto, deveria ser mais barato”, afirmou.

Já o assistente administrativo, Evanísio Lima, cedeu à paixão pelo esporte e garantiu o seu lugar no Paulo Sarasate, no dia 8 de junho. Mesmo assim ele chiou em relação ao preço da entrada, que só pode ser comprada no cartão de crédito de uma só vez. “Para efetuar a compra dos ingressos pelo site não encontrei nenhuma dificuldade, o que todos os fãs do UFC estão reclamando mesmo é do preço, muito caro, quem está comprando os ingressos são grandes admiradores do esporte, a realização do UFC em Fortaleza é uma oportunidade ímpar, que não dá para perder, principalmente porque a luta principal traz uma lenda do esporte Rodrigo Minotauro”.

De acordo com a analista de marketing, Marina Eloy, as taxas extras (R$ 45 para receber em domicílio e R$ 10 para pegar no ponto de troca) foram surpresas desagradáveis. “Escolhi a opção de imprimir em casa, achei um absurdo o fato de você ter que pagar para imprimir o ingresso na sua própria casa”, diz ela, que ficou esperando as 20 horas de quinta-feira passada para poder comprar a entrada. “Imaginava que o tráfego seria muito intenso, mas me surpreendi com a facilidade. Já ouvi relatos de outras pessoas que compraram, falando que essa opção já não estava mais disponível após um tempo, ficando assim as opções de pagamento mais caras para o recebimento”.Ela fala que precisou ligar para poder consertar uma falha no site. “O processo de compra foi rápido, porém ao concluir fui informada de um erro, ‘erro ao enviar a confirmação para o e-mail cadastrado’. Entrei em contato com o telefone presente no site, fui bem atendida, e a pessoa me informou que não sabia o por que deste erro, mas tinha a opção deu entrar no meu histórico de compras, e imprimir meus ingressos por lá, assim fiz, e já estou com os meus ingressos em mãos”.

Sobre os preços, ela desabafa:  “achei muito caro. O Paulo Sarasate não tem estrutura para receber um evento desta dimensão, o interior do ginásio é muito quente, e não temos opção de estacionamento”, disse Marina.

(Blog Vai Encarar, Diário do Nordeste)

Anúncios