retirada

A Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria Regional do Centro (Sercefor), retirou na madrugada desta sexta-feira (26), as barracas de ambulantes, que ocupavam há mais de dois anos a Praça da Estação, no Centro de Fortaleza. A operação contou com a participação da Polícia Militar e fiscais da Secretaria do Centro. Eles desmontaram as barracas que ocupavam o espaço público e apreenderam as mercadorias.

Na manhã desta sexta, muitos comerciantes reclamaram do prejuízo e da falta de negociação para a retirada do local. “Quando cheguei aqui estava tudo destruído. Não deixaram ninguém chegar perto das mercadorias”, disse revoltada a comerciante Kátia Bezerra.

O vendedor Lindon Johnson também criticou a forma como foram realizados os trabalhos da prefeitura.  “O prejuízo foi grande. É incalculável. Perdemos cadeiras, aparelhos e acessórios para celular. Estamos aqui agora, sem canto para trabalhar e sem mercadoria para vender. As coisas que estão aqui, em cima desse caminhão, que estão jogando como lixo, para gente é a nossa riqueza”, disse.

Para o comerciante Joselito Silva não  houve diálogo entre prefeitura e os ambulantes. Segundo ele, se a prefeitura tivesse dando um prazo, os comerciantes teriam saído normalmente. “É um absurdo e o prejuízo é enorme. Cerca de 70 barracas foram destruídas. O ideal era que eles tivessem nos avisado. Nos convidassem para participar de uma comissão e ter dado um prazo para nós retirarmos as nossas mercadorias”, falou.

Desocupação

De acordo com o secretário da Regional do Centro, Régis Dias, a ação foi a noite por conta do menor movimento e que a situação vem sendo negociada desde o dia 2 de janeiro. E que os ambulantes sabiam da desocupação. “O Beco da Poeira hoje chamamos de Centro dos Pequenos Negócios, comporta 1.200 boxes. Do total temos 250 boxes que estavam sem ocupação. Então não é justo ter gente na rua sem utilizar o boxe, precisando utilizar o boxe e 250 não utilizando o boxe do Centro dos Pequenos Negócios.

(G1 com TV Verdes Mares)