Dirce Camargo, a mulher mais rica do Brasil, morre aos 100 anos
Dirce Camargo, a mulher mais rica do Brasil, morre aos 100 anos

Folhapress

Dirce Navarro de Camargo, viúva do fundador do grupo Camargo Corrêa, Sebastião Camargo, morreu na noite de ontem, em casa, aos 100 anos. A informação não foi confirmada oficialmente pela assessoria de imprensa do grupo Camargo Corrêa. Ela era considerada a mulher mais rica do Brasil, com uma fortuna estimada em US$ 13,8 bilhões.

Ela voltou a entrar na lista dos bilionários brasileiros em agosto do ano passado, após a agência de informações financeiras Bloomberg revelar que ela era a proprietária beneficiária da maior parte das ações da Morro Vermelho, holding controladora do grupo. Até então, a informação era que que as três filhas do casal – Regina, Renata e Rosana – dividiam igualmente a totalidade do controle acionário da Morro Vermelho.

Agora, com a morte da mãe, as ações passam em definitivo para as filhas. O Grupo Camargo Corrêa tem negócios na área imobiliária, de construção e cimento. O grupo também é dono de 26% da CPFL Energia, de 17% da CCR e detém o controle da Alpargatas, fabricante das Havaianas. As receitas totais do grupo Camargo Corrêa atingiram R$ 17,3 bilhões em 2011, sendo 30% oriundos da área de construção.

De acordo com o índice de bilionários da Bloomberg, que varia diariamente de acordo com o sobe e desce do mercado acionário, Dona Dirce era até sexta-feira a segunda pessoa mais rica do Brasil, atrás apenas do empresário Jorge Paulo Lemann (US$ 21,1 bilhões) e à frente de Joseph Safra (US$ 11,8 bilhões). 

Lemann é um dos sócios do grupo 3G Capital, que detém parte da AB Inbev – maior cervejaria do mundo e dona da brasileira Ambev – e recentemente adquiriu a rede de lanchonetes Burger King e a fabricante de condimentos Heinz. Joseph Safra é dono do banco Safra. No ranking mundial, a viúva de Sebastião Camargo figurava em 62º lugar.

Anúncios