explosão

Das agências

A explosão de duas bombas nesta segunda-feira (15) provou três mortes no final da Maratona de Boston, nos Estados Unidos, informou o governo do estado de Massachusetts em entrevista coletiva. Pelo menos 130 pessoas ficaram feridas e 17 delas estão internadas em estado crítico. O Federal Bureau of Investigation (FBI) assumiu as investigações do atentado. 

O FBI divulgou que a apuração do caso é criminal, mas que tem “potencial de ser uma investigação terrorista”. O nível de segurança foi elevado nas cidades de Nova York e na capital, Washington. As explosões ocorreram às 15 h (horário local), dia de feriado estadual. 

A Maratona de Boston é um dos principais eventos desportivos norte-americanos, com cerca de 27 mil corredores e milhares de espetadores. As explosões ocorreram cerca de três horas após os vencedores da prova terem cruzado a linha de chegada. 

Imagens gravadas de um helicóptero exibiram grandes manchas de sangue no asfalto na popular região de compras e turismo conhecida como Back Bay. 

Os serviços de telefonia celular da cidade foram desativados, o espaço aéreo de Boston foi declarado zona de exclusão e até o perímetro de segurança da Casa Branca foi expandido. As autoridades norte-americanas enfatizaram que as medidas tinham caráter preventivo.

“Conclusões precipitadas”
Em pronunciamento, o presidente Barack Obama disse que o país investigará “a fundo” as explosões. “Não se enganem: chegaremos ao fundo disso. Descobriremos quem fez isso e por qual motivo. Quaisquer indivíduos ou grupos responsáveis irão à Justiça”, afirmou.

Obama não fez nenhuma menção a um possível atentado terrorista e pediu ainda que os cidadãos não tirem conclusões precipitadas. O presidente garantiu que está em contato com o governador de Massachusetts, Deval Patrick, e com o prefeito de Boston, Tom Menino, para assegurar que eles terão todos os recursos federais necessários para cuidar das vítimas e investigar as explosões.

Mais de 23 mil pessoas se inscreveram para a maratona deste ano. As explosões perto da linha de chegada ocorreram quase simultaneamente. Muitas das vítimas foram mutiladas na explosão, que também estilhaçou janelas. As bombas estavam a cerca de cem metros de distância uma da outra.


Mais de 23 mil pessoas se inscreveram para a maratona deste ano

Explosão em biblioteca
A relação entre incidente na Biblioteca Presidente JFK e as explosões na linha de chegada da maratona foi descartada pela Polícia de Boston. Em declarações à imprensa, em conjunto com o governador do Massachussets e o presidente da Câmara de Boston, o comissário da polícia, Ed Davis, esclareceu que as informações prestadas anteriormente teriam sido “prematuras” e que o caso na biblioteca já não está sendo tratado como um evento relacionado às explosões. 

Davis ressaltou que os dados ainda estão a ser tratados e desenvolvidos e enfatizou que não há detidos até ao momento. Na conta oficial de Twitter da Polícia de Boston, as relações públicas já havia afirmado que o “incidente na biblioteca JFK parece estar relacionado com fogo”, enquanto na mesma rede social da biblioteca salientava que “qualquer ligação às explosões da Maratona de Boston é pura especulação”.

Ed Davis reiterou o apelo anterior para que as pessoas se desloquem para as suas casas e hotéis e reportem quaisquer suspeita à polícia.

Já o governador do Estado do Massachussets, Deval Patrick, afirmou que a área das explosões está sendo tratada como uma cena de crime e deixou um alerta para que os cidadãos se mantenham afastados da região.

(Correio da Bahia)