garotinho

Rio 247 – O deputado federal Anthony Garotinho (PR-RJ) reforçou nesta quarta-feira denúncia feita na semana passada pelo deputado Eudes Xavier (PT-CE) (relembre) contra o governador do Ceará, Cid Gomes (PSB). E-mails teriam sido trocados pelo governador Cid Gomes com seu irmão Ciro Gomes, e-mails trocados com [o chefe do Gabinente Civil] Arialdo Pinho e [o secretário de Segurança] Francisco Bezerra tratam da contratação de empresa internacional de espionagem para investigar um desafeto político. Com o agravante de que isso pode estar sendo feito com dinheiro público”, discursou o deputado no plenário da Câmara.

Garotinho, que leu alguns dos e-mail trocados pelas autoridades do Ceará, falava do ex-prefeito de Maracanaú e ex-deputado federal Roberto Pessoa, presidente de honra de seu partido, o PR, no Ceará. “Tais e-mail oficiais, emitidos por autoridades públicas do Ceará demonstram claramente que espiões da Kroll chegaram em Fortaleza e estão obtendo, por meio de seis veículos oficiais, com a anuência do chefe de gabinete Civil, Arialdo Pinho, e do governador Cid Gomes, informações sobre Roberto Pessoa, desafeto histórico dos irmãos Ferreira Gomes”, disse Garotinho.

“Isso é grave. Um governador de Estado trocando e-mail com seu secretário de Segurança e espionando adversário. Coincidentemente, a imprensa cearense noticiou no dia 1º de abril que Ciro teria assumido informalmente a Secretaria de Segurança Pública”, seguiu. O deputado disse que vai encaminhar os registros ao ministro da Justiça, José Roberto Cardozo, e ao procurador-geral da República, Roberto Gurgel, para solicitar quebras de sigilos telefônicos e telemáticos da autoridades públicas do Ceará. “Usar polícia para política é coisa do fascismo, é coisa do nazismo”, enfatizou.

Em nota publicada após a denúncia de Xavier, o governador do Ceará classificou as acusações como disparatadas e mentirosas e disse que irá processar o petista na Justiça. Em aparte ao discurso de Garotinho, o deputado Antonio Balhmann (PSB-CE) defendeu Cid Gomes, dizendo que ele se explicou à Assembleia Legisltiva do Ceará logo que as primeiras denúncias apareceram. O deputado Mauro Benevides (PMDB-CE) também defendeu Cid. “Quem vai dizer se o governador falou a verdade, se mentiu, disse isso ou aquilo, são as investigações que agora serão feitas pela Procuradoria-Geral da República”, retrucou Garotinho.

Abin

Em seu discurso, Garotinho aproveitou para falar sobre as suspeitas de que a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) estaria monitorando as movimentações de sindicalistas pelos portos brasileiros. “O general José Elito [do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência] havia negado ‘veementemente’ que a Abin estivesse monitorando os portuários, que estão, com todo direito, lutando contra a MP dos Portos. A reportagem do Estadão mostrou com detalhes que a Abin vigia. E o gerneral divulgou uma nota confirmando”, disse.

“É abominável. Com tanta coisa pra tomar conta, tomar conta de trabalhadores”, completou. Segundo Garotinho, “o texto do documento que comprova a espionagem não deixa dúvida sobre o monitoramento dos sindicatos”. “Monitoramento em pleno governo de uma presidente que foi vítima da ditadura militar? isso é uma vergonha”, criticou.

(Brasil 247)