montagem

O Ceará está se tornando uma peça de peso no xadrez da disputa presidencial em 2014. Ali, governador de Pernambuco e potencial candidato pelo PSB, Eduardo Campos, disputa palmo a palmo com os correligionários Cid Gomes, atual governador, e o seu irmão e ex-ministro Ciro Gomes, espaços políticos considerados essenciais para a formação de seus palanques; em meio a esta disputa interna, a presidente Dilma Rousseff e o PT sonham em fazer o sucessor ao Governo do Estado, lançando o senador Eunício Oliveira (PMDB-PE) como candidato

 8 DE ABRIL DE 2013 

Paulo Emílio _PE247 – O Ceará está se tornando uma peça de peso no xadrez da disputa presidencial em 2014. Ali, governador de Pernambuco e potencial pré-candidato pelo PSB, Eduardo Campos, disputa palmo a palmo com os correligionários Cid Gomes, atual governador, e o seu irmão e ex-ministro Ciro Gomes, espaços políticos considerados essenciais para a formação de seus palanques. Enquanto Eduardo tenta viabilizar sua própria candidatura, os Gomes preferem que a legenda socialista permaneça na base do governo da presidente Dilma Rousseff (PT) e sonham em fazer o sucessor ao Governo do Estado, que não seria necessariamente do agrado de Campos. Em meio a esta disputa interna, o PT e a presidente Dilma estariam trabalhando para evitar que o PSB apoie de forma fechada uma eventual candidatura do governador pernambucano, lançando o senador Eunício Miranda (PMDB-CE) como candidato. De acordo com a colunista da Folha de São Paulo, Mônica Bergamo, a presidente Dilma estaria negociando a construção de um palanque único no Ceará, juntando o PT e o PSB sob o mesmo guarda-chuva. Pelo arranjo que estaria em curso, Cid Gomes sairia candidato ao Senado, enquanto o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) seria o candidato ao Governo do Estado. O vice seria indicado pelo Partido dos Trabalhadores. O único porém a esta solução estaria na petista Luizianne Lins. A ex-prefeita tem nos irmão Gomes seus principais desafetos políticos, desde os tempos em que era prefeita da capital.Um outro ponto do imbróglio cearense está na queda de braço em torno da MP 595, a MP dos Portos. Segundo matéria publicada pelo jornal Valor Econômico, o grupo político ligado a Cid e Ciro Gomes estaria insatisfeito com o posicionamento de Eduardo Campos contra a MP dos Portos, que retira dos estados e municípios parte da autonomia sobre a gestão dos terminais.

Esta movimentação teria dado a Campos um dos motes para ser utilizado em nível nacional, colocando-o em evidência na pauta política nacional. A aprovação da MP 595 é vista como fundamental para que o atual ministro da Secretaria dos Portos (SEP), Leônidas Cristino – principal formulador da MP -, que chegou ao cargo com o aval dos irmãos Gomes, possa ser o candidato apoiado pelo governador Cid Gomes para sucedê-lo.

Com Eduardo lançando-se candidato ao Planalto, o PSB cearense teria que apoiar os planos do correligionário pernambucano, muito embora com um palanque cheio de fissuras. É aí onde entram os planos do PT em apresentar o senador Eunício Miranda como uma possível alternativa para os irmãos Gomes barrarem o poderio de Eduardo Campos nos diretórios cearenses. De quebra, Dilma teria uma chapa competitiva para brecar o avanço de Eduardo em seu principal reduto, o Nordeste.

Pelo observado nas movimentações atualmente em curso, o Ceará poderá ser uma peça decisiva no xadrez eleitoral de 2014 não apenas regionalmente, e sim em nível nacional.

(Brasil 247)

Anúncios