julio

O cantor espanhol Julio Iglesias exaltou nesta segunda-feira (1º), em entrevista concedida em Pequim, na China, que, apesar de não estar mais na moda, continua sendo capaz de lotar casas de espetáculo do mundo inteiro. 

Em nova turnê mundial, na qual o cantor se apresenta em três cidades chinesas – Pequim, Xangai e Shenzhen -, Julio Iglesias, que vendeu mais de 300 milhões de discos no mundo, canta até músicas em mandarim, com o objetivo de atrair ainda mais o público local a seus shows. 

“Talvez não esteja ‘na moda’ em seu país, talvez não esteja ‘na moda’ em nenhum país do mundo. Não sou um artista ‘in’. Mas cantei por toda a minha vida”, declarou à AFP o ídolo latino de 69 anos. “Uma coisa é estar na moda e outra é ser popular”, acrescentou, pouco depois de ter recebido um troféu do Guinness World of Records de artista latino com maior número de discos vendidos na história. 

A Sony, sua gravadora, também lhe entregou uma recompensa por ser “o primeiro e mais popular dos artistas internacionais na China”.  

Iglesias também afirmou que ficaria encantado em cantar na Coreia do Norte, um país isolado cuja atitude belicista tem causado cada vez mais preocupação entre a comunidade internacional. “Se eles me convidarem, por que não? Eu não acredito nas fronteiras, nem nas raças, nem nas nacionalidades.”

(EFE)

Anúncios