A nova unidade do Sistema Penal do Estado do Ceará, a Casa de Privação Provisória da Liberdade Agente Penitenciário Elias Alves da Silva, a CPPL IV, no Município de Itaitinga, vai separar os presos provisórios de acordo com sua periculosidade, tipo de delito praticado, idade, reincidência e outros critérios que serão levados em consideração na hora de definir a ocupação das celas e vivências, evitando a ´mistura´ de detentos.

 

 

 

 

A partir de terça-feira próxima (26), a CPPL IV vai abrigar os presos que permanecem nas delegacias de Polícia Civil da Capital e região metropolitana. A unidade penal conta com um sofisticado sistema de segurança para impedir fugas FOTO: J.L.ROSA

Esta experiência da Secretaria da Justiça e da Cidadania (Sejus) tentará reduzir a constante tensão que domina as cadeias, presídios e penitenciárias. Também pode ajudar no aumento dos casos de ressocialização dos presos e na redução da reincidência penal.

O presídio, localizado na Região Metropolitana de Fortaleza, faz parte do Complexo Penitenciário prisional onde já existiam outras duas CPPLs e foi inaugurado, na manhã de ontem, pela titular da Sejus, secretária Mariana Lobo; e pelo secretário da Segurança Pública e Defesa Social, coronel Francisco José Bezerra Rodrigues. A unidade tem capacidade para abrigar 956 detentos e custou ao Estado investimento de R$18,3 milhões, com construção e compra de equipamentos, entre eles, câmeras de segurança de alta tecnologia, além de reforço nas cercas eletrônicas.

Transferência

Apesar de já ter sido inaugurada oficialmente, a CPPL IV só receberá presos na próxima terça-feira, dia 26. “Por enquanto mandaremos 100 até a próxima sexta-feira”, informou o diretor do Departamento de Polícia Especializada (DPE), delegado Jairo Façanha Pequeno.

Mariana Lobo destacou que a preocupação da Sejus não é somente de administrar os presídios, mas preparar o interno para regressar à sociedade. A CPPL IV vai começar a funcionar com uma indústria de confecção. A maior parte dos cursos profissionalizantes oferecidos permite que o interno, ao sair da cadeia, possa trabalhar.

A Sejus também firmou parcerias com empresas privadas para que os presos em regime semiaberto consigam emprego com carteira assinada e possa, em seguida, cumprir o resto da pena fora da unidade prisional.

Agentes

Durante a inauguração da CPPL IV, Mariana Lobo empossou os 778 novos agentes penitenciários aprovados no último concurso. A maioria ficará lotada naquela unidade prisional.

Socorro Matias, titular da Coordenadoria do Sistema Penal (Cosipe), destacou que a nova unidade penal é dotada de equipamentos de última geração e que a tecnologia ajudará a combater os confrontos entre os grupos de internos. Logo após dar posse aos novos agentes penitenciários, Mariana Lobo assinou ordem de serviço para a construção imediata da CPPL V, que estará localizada no mesmo complexo.

Conforme a secretária, serão abertas com a nova unidade mais de 900 vagas no sistema penitenciário, para que, dessa forma, as delegacias de Polícia Civil da Grande Fortaleza não fiquem mais superlotadas.

Em 2011, a Polícia Civil, através da Delegacia de Capturas e Polinter (Decap), encaminhou 2,6 mil presos para o Sistema Penal. No ano passado, o número subiu para 4.618.

A população carcerária no Brasil cresce, em média, 5 por cento ao ano. No Ceará, a média é de 8,9 por cento.

FERNANDO RIBEIRO/FERNANDO BARBOSA, Via Diário do Nordeste
EDITOR DE POLÍCIA/REPÓRTER

Anúncios