Em meio a tragédia em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, relembre o caso que aconteceu em Fortaleza há 7 anos. Na noite do dia 22 de maio de 2005, cinco pessoas morreram pisoteadas em uma casa de forró na periferia de Fortaleza, no show das bandas Calcinha Preta e Forró Balancear. Além disso, várias pessoas ficaram feridas.

Polícia Civil informou, na época, que o local estava superlotado e houve tumulto após a queda do portão de ferro do local, forçado por pessoas que não haviam conseguido entrar. A confusão aconteceu por volta de 1h na Vila Forró, localizado no Bairro Bonsucesso.

Além da capacidade

O gerente dos bares da casa noturna, Francisco Belchior, disse à polícia que 17 mil pessoas estavam no local. A capacidade da Vila Forró é de 15 mil a 17 mil pessoas, afirmou o gerente, porém a polícia desconfiou do número. Ainda segundo Belchior, o espaço havia sido alugado pelo dono, Franzé Loiola, à AM Promoções.

O gerente afirmou que a superlotação teria sido causada porque o ingresso valia para duas festas organizadas pela produtora no mesmo dia, e a maioria das pessoas teria optado pela Vila Forró. O gerente disse ainda que o representante da AM Promoções no local, chamado Eduardo, fechou a bilheteria, foi embora e não fez contato após a confusão.

Mortes

Nathalide Barbosa de Andrade, 20 anos, Maria do Socorro Lima da Silva, 52 anos, Maria Iranilda Torres da Silva, 39 anos, Paulo Sérgio Silva Catarino, 25 anos, e Zioneida Geracina da Silva, 29 anos, faleceram. De acordo com o Instituto Médico Legal (IML), a causa das mortes foi asfixia, comum em casos de pisoteamento.

(Jangadeiro Online)

Anúncios