Edwin Kipsang, do Quênia, comemora ao vencer a 88ª Corrida Internacional de São Silvestre. Foto AE
Edwin Kipsang, do Quênia, comemora ao vencer a 88ª Corrida Internacional de São Silvestre. Foto AE

A prova masculina da 88ª Corrida de São Silvestre em São Paulo na manhã desta segunda-feira (31/12), também teve amplo domínio dos africanos, e o queniano Edwin Kipsang venceu com folga, em 44min04s. O brasileiro Giovani dos Santos chegou em quarto lugar, atrás do etíope Joseph Aperumoi, vice-campeão, e o queniano Mark Korir, terceiro colocado.

“Estou feliz. Não deu desta vez, mas talvez no próximo ano. Atingi o tempo que era meu objetivo”, disse Giovani logo após o término da prova à TV Globo.

A largada da elite feminina aconteceu às 8h40 de Brasília, e teve a brasileira Marily tomando a dianteira no terceiro quilômetro. Ela forçou o ritmo na descida da rua Major Natanael e disparou na avenida Pacaembu. Mas não conseguiu manter o ritmo e acabou ficando para trás do pelotão liderado pelas quenianas Nacy Kipron e Rumokol Chepkanan.

Às 9 horas, foi a vez da largada do restante dos competidores. O brasileiro Reginaldo José da Silva disparou na frente. Mas, já no começo da descida, foi ultrapassado por Giomar Pereira da Silva. Após o Pacaembu, pelotão encabeçado pelos quenianos Mark Korir e Edwin Kipsang e o etíope Joseph Aperumoi tomou a frente.

No feminino, na altura do décimo quilômetro, a queniana Maurine Kipchumba assumiu a liderança, seguida da tanzaniana Jackline Sakilu. A partir daí, a queniana só aumentou a vantagem e terminou a prova em primeiro lugar, com um tempo três minutos mais lento que o da vencedora do ano passado, a compatriota Jeptoo Priscah.

Enquanto isso, o queniano Edwin Kipsang se desgarrava do pelotão e deixava Mark Korir para trás para se sagrar o campeão da São Silvestre e levar um prêmio de R$ 50 mil. Foi a 13ª vitória do Quênia na prova masculina da São Silvestre.

(*) Com informações do Uol