alimentos_funcionais

Carla Uerlings
Do UOL, em São Paulo

A expectativa de vida da população brasileira tem crescido a cada ano. Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), quem nascia em 1980 tinha a esperança de viver 62,5 anos. Passadas três décadas, esse número pulou para 74,1 anos. Para chegar lá com qualidade, é preciso ter uma vida equilibrada e saudável. Os alimentos funcionais podem ser grandes aliados nesta trajetória.

O alimento funcional, além de atuar em funções nutricionais básicas, irá desencadear efeitos benéficos à saúde quando consumido regularmente e deverá ser também seguro para o consumo sem supervisão médica.

A nutricionista Cátia Cristina Guerbali, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, explica que esses alimentos possuem componentes ativos capazes de reduzir o risco de certas doenças como as cardiovasculares, intestinais e alguns tipos de câncer. Além disso, oferecem melhora importante na função imunológica e têm propriedades antioxidantes.

“A dieta rica em alimentos de origem vegetal, hortaliças, frutas, chás, trigo e peixes pode proporcionar melhora na imunidade celular contra diferentes micro-organismos e células doentes. Já os produtos ricos em vitaminas C, E, zinco e betacaroteno protegem o corpo contra a oxidação provocada pelos radicais livres”, comenta.

Variar é importante

A médica nutróloga Marcella Garcez Duarte, diretora da Abran (Associação Brasileira de Nutrologia), recomenda que a pessoa não coma sempre os mesmos alimentos funcionais. Com tamanha variedade, a receita é diversificar ao máximo.

“Se um dia você come aveia, no outro se alimente com linhaça, ou troque a maçã por castanha-do-pará. Durante a semana, alterne arroz branco com integral. Assim sua dieta não ficará monótona”, ensina a nutróloga.

Existem importantes evidências em estudos epidemiológicos de que o maior consumo de frutas, vegetais e legumes está associado ao menor aparecimento de doenças crônico-degenerativas conforme o nutrólogo Dan Waitzberg, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

“Sob o ponto de vista de pesquisas experimentais em células e em animais, já se identificaram benefícios de vários dos compostos bioativos encontrados nos alimentos, como, por exemplo, da genisteína da soja, do licopeno do tomate ou da goiaba vermelha, e do resveratrol da uva”, destaca o médico.

O nutrólogo acrescenta que todos os dias são publicados novos artigos sobre o assunto, o que não quer dizer que sejam de boa qualidade ou de metodologia adequada. “Um bom artigo é aquele que considera a inter-relação entre o consumo dos alimentos, as várias formas de determinados genes e os resultados clínicos observados”, explica.

Segundo ele, um estudo feito na Itália com mais de 30 mil mulheres apontou que o maior consumo de vegetais por mais de 10 anos foi capaz de conferir importante proteção contra o câncer de mama.

O QUE É ALIMENTO FUNCIONAL

  • ThinkstockA Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) classifica como alimentos funcionais aqueles que produzem efeitos metabólicos ou fisiológicos por meio da atuação de um nutriente ou não nutriente no crescimento, desenvolvimento, manutenção e em outras funções normais do organismo humano.

    Ainda segundo a Anvisa, o alimento ou ingrediente que se diz funcional, além de atuar nas funções nutricionais básicas, trará efeitos benéficos à saúde. Mas as pessoas não podem pensar que esses alimentos curam. “É importante ressaltar que eles apenas ajudam a prevenir algumas doenças se fizerem parte continuamente da dieta das pessoas”, alerta a médica Marcella Garcez.

 

Do jeito certo

Em encontro com funcionários do Hospital Oswaldo Cruz e seus familiares, a nutricionista Cátia Guerbali apresentou como elaborar pratos saborosos com alguns alimentos funcionais. Segundo ela, a melhor forma de consumi-los é mesmo “in natura”.

“Parte dos nutrientes se perde durante o cozimento excessivo, como em alimentos como espinafre, escarola, brócolis ou couve-flor. O ideal é apenas dar uma rápida fervida e deixá-los ‘al dente’”, explica.

Para quem trabalha o dia todo e não tem como perder muito tempo na cozinha, Cátia Guerbali sugere que a pessoa compre alimentos embalados em pequenas porções e já higienizados. “Geralmente, já estão disponíveis em hortifrútis, feiras e supermercados. Pode custar mais, no entanto é preciso avaliar os benefícios que irão trazer”, opina.

A nutricionista lembra que quanto mais cedo as crianças forem acostumadas a ter uma dieta rica em alimentos funcionais, mais saudáveis elas serão ao longo da vida. “O exemplo vem de casa. Se o filho vê os pais comendo frutas, verduras e legumes, com certeza terá hábitos mais saudáveis”, avalia.

Alimentos industrializados

Leite fermentado, biscoitos vitaminados, cereais matinais ricos em fibras, leites enriquecidos com minerais ou ácido graxo ômega 3 são exemplos de alimentos funcionais industrializados. Eles foram enriquecidos com ingredientes que modificaram suas propriedades originais. A quantidade de componentes funcionais nesse tipo de alimentos costuma ser muito baixa. Por isso, é necessário ingerir grande quantidade para atingir o efeito descrito no rótulo do produto.

A nutróloga Marcella Garcez recomenda que as pessoas invistam nos produtos frescos. “Quanto mais natural for a dieta, melhor, pois a concentração dos nutrientes é maior. Prefira o pãozinho integral vendido na padaria ao industrializado”. Para a médica, a velha receita da vovó ainda é a melhor. “Nada substitui uma alimentação saudável, o prato deve estar o mais colorido possível”, recomenda.

VEJA ALGUNS GRUPOS DE ALIMENTOS FUNCIONAIS

A nutricionista Cátia Cristina Guerbeli, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, destaca alguns grupos de alimentos funcionais capazes de auxiliar na prevenção de doenças:
Alimentos arroxeados: as propriedades dos alimentos arroxeados e azulados, que contêm ácido elágico, retardam o envelhecimento e neutralizam as substâncias cancerígenas, prevenindo diversos tipos de câncer
Alimentos amarelos: mantêm o sistema nervoso saudável, ajudam a prevenir o câncer de mama, têm ação antioxidante e retardam o envelhecimento. São ricos em vitamina B-3, ácido clorogênico e também possuem betacaroteno
Alimentos verdes: contêm cálcio, clorofila e as vitaminas A e C. Suas propriedades funcionais promovem a desintoxicação celular, inibem os radicais livres, protegem o coração, melhoram o sistema imunológico, o cabelo, a pele e têm efeito anti­cancerígeno. Também são importantes para os ossos e a contração muscular
Alimentos vermelhos: são ricos em cálcio, fósforo, potássio e vitaminas A e C. As frutas vermelhas contêm licopeno e flavonoides, que funcionam como antioxidante e promovem benefícios como a redução do risco de doenças cardiovasculares, redução do colesterol e fortalecimento do sistema imunológico.
Anúncios