Ministério Público do Estado do Ceará (MP-CE) finalizou na tarde desta terça-feira (20) a operação Trairi Limpo III, que teve o objetivo de apurar crimes de quadrilha ou bando, corrupção eleitoral e transporte irregular de eleitores no município de Trairi. Os 12 mandados de prisão temporária, expedidos pelo juiz eleitoral Fernando Teles de Paula Lima, foram efetivados com sucesso. (Saiba mais sobre o caso)

Também foram apreendidos cheques, agendas e recibos dos acusados. Os acusados foram levados aoPresídio de Trairi e devem ficar presos por cinco dias, podendo ser prorrogado por mais cinco. A partir de quarta-feira (21, eles começam a ser ouvidos.

São eles: Regina Nara Batista Porto, candidata eleita ao cargo de prefeita municipal de Trairi/CE pelo PSDB; José Ademar Barroso, candidato eleito para o cargo de vice-prefeito municipal de Trairi/CE pelo PSL; Henrique Mauro de Azevedo Porto (pai da prefeita eleita); Regina Alves de Castro; Henrique Mauro de Azevedo Porto Filho, vereador de Trairi e candidato eleito para o mesmo cargo pelo PSD; Pedro Moreira Neto; Carlos Gustavo Monteiro Moreira, eleito para o cargo de vereador de Trairi/CE pelo DEM; José Soares de Sousa, candidato ao cargo de vereador pelo PSDB; o motorista Adaílton do Canaã; Erasmo Izaías da Costa; “Toinha”; e “Nazareno”.

Na tarde desta terça, foram realizadas oitivas com alguns eleitores corrompidos pela quadrilha. Três eleitores confirmaram ter recebido de Regina Nara e José Ademar a promessa de benefícios em troca de votos.

Ação educativa

Já é a segunda ação realizada no Trairi por crime eleitoral, atingindo tanto os gestores públicos da situação quanto da oposição. O MP acredita que a operação Trairi Limpo III tem um caráter pedagógico, visto que é rara a prisão por compra de votos e outras irregularidades eleitorais de gestores públicos que nem sequer tomaram posse.

Dessa forma, a Instituição acredita que a punição exemplar desse caso é um marco no combate a práticas que, embora “naturalizadas” no processo eleitoral, caracterizam crime e são extremamente danosas para a sociedade. A operação foi realizada pelos promotores de Justiça Igor Pereira Pinheiro, André Clark Nunes Cavalcante, Luiz Alcântara Costa e Eloilson Augusto Landim, em coordenação com a Polícia Federal e a Procuradoria Regional Eleitoral do Ceará (procurador da República Márcio Andrade Torres).

(Jangadeiro Online)