Já está disponível no Brasil um revolucionário sistema que permite operar tumores e outras doenças intracranianas graves sem a necessidade de cortes ou internação. A técnica inovadora de cirurgia cerebral acaba de ser instalada no Instituto de Neurologia de Curitiba (INC), o primeiro centro do país e o segundo da América Latina a dispor do moderno sistema Gamma Knife Perfexion, que é totalmente automatizado e elimina o risco de sequelas presente na cirurgia tradicional.  Em menos  de meia hora, Claudemir Schionato Lobo disse adeus a um tumor que estava comprometendo sua audição e voltou para casa dirigindo. Três dias depois ele já estava de volta ao trabalho, completamente recuperado. Isso só foi possível porque o eletricista de 39 anos foi submetido ao tratamento com utilização de uma Gamma Knife ou “faca gama”, um procedimento também conhecido como “cirurgia sem bisturi”. Se fosse operado pelo método tradicional, Claudemir teria que ficar internado pelo menos 10 dias e correria o risco de perder completamente a audição do ouvido esquerdo. 

O procedimento consiste na utilização de uma dose concentrada de radiação de Cobalto 60, que destrói estruturas intracranianas de até 3,5 cm de diâmetro com grande precisão, preservando as estruturas sadias ao redor. Segundo o neurocirurgião Maurício Coelho Neto, o princípio do tratamento pode ser comparado a uma lupa que direciona os raios do sol em um único ponto. “O aparelho concentra vários feixes de radiação na área afetada pela doença com uma precisão submilimétrica, de modo a gerar nenhum ou pouquíssimos efeitos adversos”, explica. Tal precisão, combinada à rapidez do tratamento, permite que a pessoa passe pelo procedimento em um dia e retorne às suas atividades normais no dia seguinte. Tudo sem cortes ou internação. Além de constituir um método alternativo de tratamento, a Gamma Knife também salva a vida de pacientes com tumores localizados em áreas críticas do cérebro e que, se submetidos à cirurgia convencional, poderiam causar riscos à vida, afirma o cirurgião. Embora essa forma de tratamento ainda seja uma novidade no Brasil, seu uso já é bastante difundido na Europa e Estados Unidos, onde mais de 500 mil pacientes já foram tratados através dessa tecnologia. 

A radiocirurgia, entretanto, não é indicada para todos os casos de doenças neurológicas. Trata-se de um tratamento específico para doenças encontradas dentro do crânio ou na região da coluna cervical alta (até o nível da terceira vértebra cervical), que pode ser usado em doenças específicas, como metástases cerebrais; tumores benignos do cérebro como meningiomas e neurinomas; malformações vasculares (MAVs), Epilepsia, Parkinson e Neuralgia do Trigêmeo. Os tumores seguem uma indicação pelo tamanho e tipo, tendo maior eficácia em caso de histologia benigna, respeitando o limite de 3,5 cm em seu diâmetro. Os tumores malignos primários do cérebro também podem ser tratados, mas sua indicação normalmente é associada a outras modalidades complementares de tratamento. O revolucionário método cirúrgico é considerado o mais eficaz no tratamento das metástases cerebrais. Mais informações na internet – http://www.gammaknifecuritiba.com.br