BRASÍLIA – Com as forças políticas se posicionando para a disputa de 2014, a presidente Dilma Rousseff continuou, nos últimos dois dias, gastando suas noites em reuniões com as cúpulas dos partidos para amarrar o apoio à sua reeleição. Na segunda-feira, jantou com presidente do PSD e prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. Mas, apesar das declarações sobre a intenção de apoiá-la, ele não teve ainda o aval do partido para integrar formalmente a base governista. O partido já deu sinais de que esse aval não virá só em troca do futuro Ministério da Pequena e Micro Empresa, considerado pequeno para acomodar a ambição do PSD.

– É gratificante saber que nos querem, mas não é o momento. Quem ganha junto, governa junto. Em todo mundo é assim – disse Kassab, ponderando que é melhor esperar a reeleição de Dilma, para que, numa ampla reforma ministerial, em eventual segundo mandato, o peso do PSD possa representar um ministério de primeira grandeza. A conversa com a presidente foi relatada por Kassab em almoço ontem com a bancada de deputados do partido.

Ontem foi a vez de Dilma receber no Alvorada o presidente do PP, senador Francisco Dorneles (RJ), e o ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro. Neste caso, foi antecipada a declaração de apoio em 2014, para segurar com o partido a cobiçada pasta das Cidades e seu milionário orçamento.

(Agência O Globo)