Estudo realizado pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece) nos 119 bairros de Fortaleza mostra que a renda das pessoas moradoras do bairro mais rico da capital, o Meireles, é 15,3 superior aos das residentes no bairro mais pobre, o Conjunto Palmeiras. O estudo, divulgado nesta terça-feira (30) mostra ainda que 7% da população de Fortaleza vive nos 10 bairros mais ricos e que os 44 bairros de menor renda concentram 49% da população da capital cearense.

De acordo com Victor Hugo de Oliveira Silva, coordenador do levantamento, o estudo “identificou a existência de uma forte concentração espacial da renda média pessoal em Fortaleza”. Para Flávio Ataliba, diretor do Ipece, “essa elevada dificuldade pode ocasionar, dentre outros problemas, a potencialização de tensões sociais, culminando com o aumento da violência, assim como maiores transtornos de mobilidade urbana, já que é natural, nesses casos, o movimento de pessoas de bairros muitos pobres para bairros de nível de renda mais elevado em busca de emprego, renda e serviços”.

O estudo do Ipece, que utilizou dados do Censo demográfico 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mapeou, segundo Flávio Ataliba, os 119 bairros divididos em cinco grupos, com intervalos de renda pessoal de R$ 499,99. O Meireles, bairro mais rico da cidade, tem uma renda média 15,3 vezes (R$ 3.659,54) maior que a do Conjunto Palmeiras (R$ 239,25), que ocupa o último lugar (119ª colocação).

Os bairros mais ricos, com renda média entre R$ 2.000,01 e R$ 3.659,54, estão concentrados, segundo o estudo, em uma única Secretaria Executiva regional da Capital. Entre os dez mais ricos, nove estão localizados na SER II: Meireles, Guararapes, Cocó, De Lourdes, Aldeota, Mucuripe, Dionísio Torres, Varjota e Praia de Iracema. Na décima posição está o bairro de Fátima, que pertence a SER IV.

Conjunto Palmeiras, Parque Presidente Vargas, Canindezinho, Siqueira, Genibau, Granja Portugal, Pirambú, Granja Lisboa, Autran Nunes e Bom Jardim são os bairros onde vive a população com menor poder aquisitivo. Entre os bairros mais pobres, seis estão localizados na SER V, a regional administrativa com menor renda média pessoal. Na SER VI estão localizados um pequeno núcleo de bairros com renda pessoal acima de dois salários mínimos.

Os bairros Parque Manibura, Cidade dos Funcionários, Parque Iracema, Cambeba e José de Alencar possuem uma média de renda pessoal que é 2,6 vezes maior do que a média de renda pessoal dos demais bairros que compõem essa regional.

A SER VI é apenas a terceira em termos de renda média pessoal, mas como ela é maior regional administrativa de Fortaleza, englobando 29 bairros e onde vivem a 22% da população total, existe grande desigualdade espacial de renda dentro desta mesma regional administrativa.

(G1 Ceará)

Anúncios