O que será que o pastor evangélico que tanto critica as iniciativas antihomofóbicas, como o chamado “kit-gay”, acharia se a ideia fosse implementada no Brasil?

247 – Os Estados Unidos comemoraram na última quinta-feira, 11 de outubro, o Dia de Sair do Armário – Nacional Coming Out Day, em inglês. A data começou a ser celebrada exatamente um ano depois da realização da Marcha Pelos Direitos das Lébicas e Gays em Washington, em 11 de outubro de 1988.

Caso a ideia fosse implantada no Brasil, qual seria a reação do pastor evangélico Silas Malafaia, forte crítico de iniciativas antihomofóbicas, como o chamado “kit-gay”, principalmente recentemente, quanto o religioso vem desferindo ataques contra o criador do material, o candidato Fernando Haddad (PT)?

Nesta data, o objetivo dos norte-americanos é encorajar os homossexuais que ainda não revelaram aos familiares e amigos sua opção sexual a “sair do armário” – expressão que significa assumir a condição de homossexual. Com isso, estimular a discussão sobre o tema, certamente um discurso que Malafaia não pregaria.

(Brasil 247)