Morreu neste sábado (29), em São Paulo, a apresentadora Hebe Camargo. Ela lutava contra o câncer.

A loira mais famosa da história da televisão brasileira não era loira. Paulista de Taubaté, Hebe Maria Camargo era até chamada de a moreninha que canta.

Começou no rádio e, numa entrevista ao SPTV, contou que só não participou da primeira transmissão de televisão no Brasil, na TV Tupi, dia 18 de setembro de 1950, porque preferiu ir namorar. “Menti que eu estava muito gripada, e na realidade eu estava apaixonada por um homem maravilhoso”, diz.

Hebe lembrou que estava escalada para cantar o hino da televisão, feito sob encomenda para a inauguração. “A Lolita Rodrigues que substituiu cantando o hino, que eu até hoje dou graças a Deus porque o hino é horrível”.

Quatro décadas se passaram até que cara a cara com as amigas Lolita Rodrigues e Nair Belo, no programa do Jô, ela ouvisse o tal hino.

Nos anos 50, diante das câmeras outro talento foi revelado. “A apresentadora veio por causa da cantora e de repente a apresentadora sufocou a cantora”, conta Hebe.

Nos anos 60, seu programa de entrevistas domingo à noite na TV Record, era uma referência. Por ali passou muita gente boa. Nessas entrevistas consagrou uma expressão. “Quando eu gosto muito vira gracinha, porque eu gosto muito, aí você é uma gracinha, tenho vontade, ah, engraçado, agora eu percebi que eu falo assim: gracinha”.

Tinha outra marca registrada: a risada. Participou de programas humorísticos. Com uma vistosa peruca, foi a Cleópatra do Júlio César Ronald Golias.

Hebe passou também pela TV Bandeirantes, ficou 25 anos no SBT e em 2011 foi para a RedeTV!. Outras loiras, como Xuxa, se renderam ao seu carisma.

Com versatilidade e bom humor esteve diante das câmeras por 60 anos. E mais de meio século depois de iniciar a carreira na TV fez reaparecer a Hebe cantora. Voltou aos estúdios, gravou um CD.

Em 2009 soltou a voz no palco do Teatro Municipal de São Paulo para homenagear os 50 anos de carreira do ídolo, Roberto Carlos.

O ano seguinte começou com um desafio: a luta contra um câncer no abdômen, que ela enfrentou com coragem e bom humor. Recebeu a solidariedade de todos, até do rei Roberto Carlos e como numa canção de Roberto, o público talvez tenha a certeza de que Hebe Camargo não acaba nunca. 

(Globo Online)

Anúncios