Tem um negócio em eleição chamado na linguagem vulgar de B.U. – que traduzindo significa Boca de Urna, o maior crime numa eleição. São pessoas pagas para comprar votos ou convencer pessoas indecisas. Essas pessoas são contratadas como “Fiscais de Rua”, um absurdo que a polícia e a justiça precisam coibir e punir com rigor. Contam que candidatos a vereador e a prefeito pagam R$ 50 para o trabalho no dia da eleição. Em Fortaleza, os candidatos compram os votos de quem vai fazer boca de urna e dos indecisos. O exército que está sendo contratado pelos vereadores e uma coligação chega a 150 mil pessoas. É meia eleição. Aqui no sertão, os caras compram os votos e as pessoas. Nas carreatas, um motoqueiro recebe R$ 15 e um carro R$ 35 por uma carreata de 3 quilômetros.

(Roberto Moreira, Diário do Nordeste Online)

Anúncios