Os bancários de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Campo Grande, Florianópolis, Pernambuco, Ceará, Bahia, Pará, Paraíba, Alagoas, Piauí, Mato Grosso, Rondônia, Roraima, Amapá, Sergipe, Londrina e Campinas, dentre outros, reunidos em assembleias realizadas pelos sindicatos na noite desta quarta-feira (12), rejeitaram a proposta da Fenaban e aprovaram a deflagração de greve nacional a partir da próxima terça-feira (18) por tempo indeterminado. Novas assembleias serão realizadas na segunda-feira (17) para organizar o movimento. 

Confira na tabela abaixo a relação das entidades que aprovaram greve, de acordo com informações enviadas para a Contraf-CUT até as 21h45. 

A decisão segue orientação do Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Contraf-CUT, que considerou insuficiente a proposta dos bancos de reajuste de apenas 6% sobre todas as verbas salariais -, o que representa um aumento real de apenas 0,58%, menor que o índice da quase totalidade dos acordos feitos por outras categorias no primeiro semestre deste ano, que obtiveram ganhos superiores a 5% acima da inflação. 

“Os seis maiores bancos, que empregam mais de 90% da categoria, lucraram R$ 25,2 bilhões no primeiro semestre deste ano, mas fizeram uma proposta que não valoriza os salários dos trabalhadores, enquanto pagam milhões de reais por ano para os altos executivos”, critica Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT. 

Os bancos ainda lançaram R$ 39,15 bilhões em provisões para devedores duvidosos (PDD) no primeiro semestre, 64,3% a mais que o lucro líquido. “É um truque contábil para uma inadimplência que cresceu apenas 0,7 pontos percentuais no mesmo período e que acaba reduzindo a participação dos trabalhadores nos lucros”, aponta Cordeiro. “Por isso, os bancários reivindicam uma nova regra de PLR, equivalente a três salários mais R$ 4.961 fixos”, ressalta Cordeiro.

“Além disso, os bancos nada apresentaram para gerar empregos e acabar com a rotatividade, que reduz a massa salarial da categoria, muito menos para melhorar as condições de trabalho, como o fim das metas abusivas para a venda de produtos”, salienta. 

Na última quarta-feira (5), o Comando Nacional enviou carta à Fenaban informando sobre o calendário de mobilização e reafirmando a importância de se buscar um acordo negociado. Mas até agora, passados sete dias, os bancos não deram nenhuma resposta.

Clique aqui para ler a carta para a Fenaban.

“Com a deflagração da greve a partir do dia 18, os bancários de todo o país estão respondendo ao desrespeito com que os bancos vêm tratando a categoria nas mesas de negociação. Continuamos abertos ao diálogo e qualquer nova proposta será apreciada nas assembleias do dia 17, mas estamos unidos e preparados para fazer uma grande mobilização nacional, a fim de arrancar novas conquistas econômicas e sociais”, conclui o presidente da Contraf-CUT.

BB e Caixa

O Comando Nacional retoma as negociações com o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal nesta sexta-feira (14), às 14h, em São Paulo. As novas rodadas acontecem após o envio de cartas aos dois bancos pela Contraf-CUT na última quinta-feira (6), a exemplo das correspondências encaminhadas para a Fenaban e aos quatro maiores bancos privados (Itaú, Bradesco, Santander e HSBC) com o mesmo teor.

As principais reivindicações dos bancários

● Reajuste salarial de 10,25% (aumento real de 5%). 
● Piso salarial de R$ 2.416,38.
● PLR de três salários mais R$ 4.961,25 fixos. 
● Plano de Cargos e Salários para todos os bancários.
● Elevação para R$ 622 os valores do auxílio-refeição, da cesta-alimentação, do auxílio-creche/babá e da 13ª cesta-alimentação, além da criação do 13º auxílio-refeição.
● Mais contratações, proteção contra demissões imotivadas e fim da rotatividade.
● Fim das metas abusivas e combate ao assédio moral
● Mais segurança
● Igualdade de oportunidades.

Veja o resultado das assembleias até as 21h45:

SINDICATO RESULTADO
São Paulo Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Rio de Janeiro Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Brasília Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Belo Horizonte Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Curitiba Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Porto Alegre Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Campo Grande Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Florianópolis Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Pernambuco Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Ceará Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Bahia Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Pará Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Paraíba Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Piauí Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Mato Grosso Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Acre Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Espírito Santo Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Rondônia Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Amapá Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Alagoas Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Sergipe Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Roraima Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Campinas – SP Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
ABC – SP Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Londrina – PR Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Vitória da Conquista – BA Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Dourados – MS Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Teresópolis – RJ Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Santa Rosa – RS Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Vale do Ribeira – SP Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Uberaba – MG Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Limeira – SP Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Nova Friburgo – RJ Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Vale do Paranhana – RS Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Chapecó – SC Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Teófilo Otoni – MG Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Mogi das Cruzes – SP Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Caxias do Sul – RS Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
São Leopoldo – RS Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Erechim – RS Rejeitou a proposta e aprovou estado de greve
Guaporé – RS Rejeitou a proposta e aprovou estado de greve
Zona da Mata e Sul de Minas Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Guarapuava – PR Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Sul Fluminense – RJ Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Ipatinga – MG Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Campo Mourão – PR Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
São Miguel do Oeste – SC Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Juiz de Fora – MG Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Patos de Minas – MG Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Três Rios – RJ Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Feira de Santana – BA Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Jacobina – BA Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Bagé – RS Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Camaquã – RS Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Litoral Norte – RS Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Taubaté Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Presidente Prudente – SP Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Guarulhos – SP Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Catanduva – SP Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Bauru – SP Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Barretos – SP Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Assis – SP Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Araraquara – SP Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Irecê – BA Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18
Jundiaí – SP Rejeitou a proposta e aprovou greve a partir do dia 18

Fonte: Contraf-CUT

Anúncios