A vida política e as sucessivas candidaturas a cargos eletivos em Fortaleza parecem estar rendendo bons frutos aos postulantes veteranos que disputam mais um pleito na capital cearense.

Analisadas as declarações de bens disponibilizadas pela Justiça Eleitoral, cinco, de seis candidatos que disputam uma eleição mais uma vez, engordaram seus patrimônios de 2008 para cá.

Com os números em mãos, O POVO fez levantamento e comparou os bens apresentados pelos prefeituráveis com as declarações feitas em diferentes pleitos das quais participaram. Entre os postulantes, teve quem incrementasse o patrimônio em 7.000% em dois anos. E há, também, candidato sem nenhum bem declarado – sequer conta em banco.

Em 2010, com uma modesta declaração de bens com menos de R$ 8 mil divididos em duas contas bancárias, o patrimônio de Roberto Claudio (PSB) deu um salto dois anos depois. Hoje, o patrimônio declarado do eleito deputado estadual passa de meio milhão de reais. Além dele, Moroni Torgan (DEM), Heitor Férrer (PDT), Inácio Arruda (PCdoB) e Marcos Cals (PSDB) também tiveram incremento de bens e valores.

Mesmo com o maior crescimento real e proporcional declarado, Roberto Claudio ainda não tem o maior dos patrimônios entre os dez candidatos a prefeito.

Os mais aquinhoados

Quem encabeça a lista, com os mais ricos bens apresentados, é o médico e deputado estadual Heitor Férrer. Com 22 bens, entre imóveis, terrenos, veículos e cavalos, o patrimônio do pedetista ultrapassa a marca inalcançada pelos demais, de mais de R$ 1 milhão. O montante do deputado aumentou em cerca de R$ 103 mil de 2010 para 2012. Curiosamente, metade deste valor corresponde à compra de cavalos de raça. 

Segundo na lista dos mais generosos patrimônios, o tucano Marcos Cals também teve um incremento de quase R$ 100 mil em bens, de 2010 até hoje. Há dois anos, quando candidato a governador do Estado, Cals tinha um patrimônio avaliado em R$ 801.180,30. Hoje, na disputa pela prefeitura, o tucano declarou ter R$ 896.749,92. Na lista da descrição de bens – a mais detalhada entre os postulantes – o candidato declarou veículos, imóveis, aplicações e até linhas telefônicas e obras de reforma.

Já o candidato Inácio Arruda ocupa a terceira posição entre os candidatos com bens mais valiosos. O patrimônio dele é de R$ 663.409,62, divididos entre dois veículos, dois apartamentos e aplicações.

O montante de Moroni Torgan vem na sequência, com bens declarados em R$ 636.000,00. Durante a estadia na Europa, por quase quatro anos, o patrimônio do candidato engordou em R$ 220.000,00.

Modestos

O estreante Elmano de Freitas (PT) e os veterano Renato Roseno (Psol) e Francisco Gonzaga (PSTU) têm os mais modestos patrimônios entre os candidatos que declararam bens.  

O petista, com R$ 73.580,85, divididos em dois terrenos, um veículo e cadernetas de poupança. Já Roseno, com duas contas bancárias e um veículo avaliados em R$ 45.337,18, foi o único dos candidatos que reduziu o patrimônio de 2010 para hoje. Há dois anos, o postulante tinha R$ 55.991,29 em bens – quase R$ 10 mil a mais do que o declarado este ano. Gonzaga declarou R$ 30 mil em bens.

André Ramos (PPL) e Professor Valdeci (PRTB) declararam não possuir bens. Somados, os patrimônios dos oito candidatos são avaliados em R$ 3.980.703,83. 

Como

ENTENDA A NOTÍCIA

Juntamente com o pedido de registro de candidatura e a proposta de governo, cada candidato a prefeito ou vereador tem de apresentar à Justiça Eleitoral o patrimônio atual registrado, oficialmente, em seu nome.

 

SERVIÇO 

A Justiça Eleitoral disponibiliza uma série de informações sobre candidaturas e coligações das eleições de 2012.

Link direto: http://bit.ly/PKfsg8 

Mais detalhes em http://www.tre-ce.jus.br

 (Raquel Maia, O Povo Online)

Anúncios