A Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) estima que a greve de motoristas e cobradores de ônibus de Fortaleza,  decretada na tarde desta quinta-feira (14), prejudique cerca de 1 milhão de usuários do sistema de transporte público na Capital.

A categoria decidiu parar, por unanimidade, durante assembleia geral realizada na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Ceará (Sintro). A greve começara a partir da próxima segunda-feira (18).

Protestos

Após a decisão, motoristas e cobradores saíram em passeata da sede do Sintro até o Shopping Benfica. Durante o percurso, motoristas que estavam em serviço deixaram os veículos para seguir o protesto.

No início desta semana, ônibus foram impedidos de sair dos terminais do Papicu e do Antônio Bezerra, outros veículos foram apedrejados e tiveram  pneus esvaziados.

De acordo com a assessoria de comunicação da Etufor, quando os ônibus foram impedidos de sair dos terminais, os passageiros puderam usar o serviço de transporte público na parte externa do local.

A Etufor não tem dados sobre os prejuízos causados pelas mobilizações. Ainda de acordo com o órgão, existem entre 10 e 12 mil motoristas, cobradores, fiscais e pessoal de manutenção no Sistema Público de Transporte Urbano Público.

Mais dados

Atualmente a frota é de 1.792 ônibus320 vans4.392 táxis2.209 motos. Mais de 1 milhão de pessoas utilizam o Sistema de Transporte Público por dia. São sete terminais e 249 linhas de ônibus.

Negociações

As negociações entre Sindiônibus e Sintro ocorrem desde o mês de abril. Inicialmente, o Sintro pedia aumento de 25%, enquanto o Sindiônibus oferecia 4,88% . O motoristas também querem reajuste na cesta básica e no vale refeição; redução da carga horária de trabalho de 44 para 42 horas semanais; e o fim da segunda jornada de trabalho.

O Sintro reivindica aumento de R$ 1.463,95 para motoristas e de R$ 844,10 para cobradores. Os salários atuais são, respectivamente, de R$ 1.273 e R$ 734. A cesta básica é de R$ 70 e o vale refeição é de R$ 7.

Nota do Sindiônibus

Após o anúncio da greve, o presidente do Sindiônibus, Dimas Barreira, divulgou nota sobre o movimento.

Confira a íntegra:

‘O Sindiônibus vem a público reafirmar o compromisso de empreender todos os esforços para o fechamento de um acordo com o Sindicato dos Rodoviários (Sintro) no sentido de se evitar uma paralisação do transporte coletivo, fato que traria prejuízos aos trabalhadores e à população de Fortaleza.

Portanto, mesmo com a decretação da greve, o Sindiônibus está confiante que a categoria laboral possa apresentar um pleito que se traduza em ganho para o trabalhador mas que possa ser cumprido pelas empresas e pelo Sistema de Transporte Coletivo de Fortaleza.

Dentro desse contexto, o Sindiônibus continua aberto ao diálogo visando a conclusão da Convenção Coletiva 2012/2013, evitando-se assim o encaminhamento de um dissídio ao Tribunal Regional do Trabalho.’

(JANGADEIRO ONLINE)