CIDADE DO MÉXICO – O Consulado do Brasil na Cidade do México aguarda das autoridades mexicanas o resultado da autópsia do casal paulista que morreu enquanto mergulhava em uma caverna em Playa Del Carmen, a 60 km de Cancún, no México. José Brugnaro Neto, engenheiro da Embraer de 34 anos, e sua mulher, a médica Renata Quirino Brugnaro, de 36, faleceram na quinta-feira. O resultado da autópsia poderia sair ainda nesta terça-feira.

 Tudo indica que eles se perderam e ficaram sem oxigênio, mas falta confirmação oficial  contou ao GLOBO o vice-cônsul Cláudio Teixeira.

A caverna subterrânea onde mergulhavam, conhecida como Chac Mool, fica em uma região de origem indígena maia e é uma das mais visitadas por moradores locais e turistas, mas também é considerada um labirinto com pouca luz natural. O guia que acompanhava o casal, o espanhol Ismael García Manzanares, também morreu.

A polícia mexicana trabalha com a hipótese de negligência. Meios de comunicação mexicanos criticam a demora da agência de mergulho responsável pelo passeio em reportar às autoridades o desaparecimento do casal brasileiro e do guia espanhol. Eles teriam iniciado o passeio às 16h da última quinta-feira. O acesso a visitantes ao Chac Mool se encerra normalmente às 17h, e as autoridades só teriam sido avisadas às 21h. Os corpos foram localizados por volta de meia-noite e retirados uma hora depois.

Segundo o Consulado do Brasil no México, familiares do casal e funcionários da Embraer foram avisados na segunda-feira sobre o ocorrido, mas até agora não confirmaram sua vinda ao México para acompanhar as investigações.

Autoridades mexicanas contaram ao GLOBO que as investigações continuam e afirmaram que a família ainda não reclamou os corpos de José Brugnaro Neto e de Renata Quirino Brugnaro, que ainda estão em Playa del Carmen.

(AGÊNCIA O GLOBO)

Anúncios