São Jorge para os católicos, Ogum para os seguidores de religiões afro-brasileiras, tanto faz o nome, a energia é o que realmente importa, neste país de miscigenação, que caminha a passos largos contra todo tipo de preconceito e intolerância, a favor dos direitos humanos. Este, quer seja São Jorge ou Ogum, que tantas vezes passou pelo carnaval carioca, recebendo as mais lindas e emocionantes homenagens, nos serve como exemplo de confiança em dias melhores, e a fé de que sempre que persistimos em nosso objetivos, alcançamos a vitória.

No mundo do samba quais escolas poderia melhor representar este Santo Guerreiro do que Império Serrano, Beija-Flor de Nilópolis e Império da Tijuca? Essas escolas podem muito bem representar tudo que já vimos o carnaval fazer em memória de Jorge, o Santo Guerreiro, Ogum nosso Pai da Guerra.

Ogum é o Senhor dos metais, dono dos caminhos da vida, ele mesmo foi quem ensinou os homens a usarem o aço, e por suas próprias mãos forjava suas ferramentas, tanto para a guerra quanto para agricultura. Pessoas filhas D’Ogum geralmente não desistem de seus sonhos, são fortes, guerreiras, aguerridas e impulsivas, incapazes de perdoar ofensas das quais foram vítimas, segundo contam as tradições afro-descendentes.

Seja pela força, ou pelas guerras, a verdade é que este Santo tem protegido nosso carnaval com toda sua força e poder. Carnavais como o do aço apresentado pela Unidos de Padre Miguel em 2010, ou mesmo o belo enredo que a Império da Tijuca apresentou em 2007, e neste tive o grande prazer de participar de perto e ver uma grande espetáculo na Sapucaí, não saem da minha mente, e sempre que penso neste Santo, envolvido com o Maior Espetáculo da Terra, não posso deixar de me lembrar da bela imagem que a Beija-Flor de Nilópolis tem em sua quadra, onde faz seus pedidos ao Santo padroeiro, talvez o mais popular de todos, principalmente entre cariocas e fluminenses.

Quem sabe com um pouco de sorte, o carnaval carioca vai poder ver mais uma vez São Jorge sendo homenageado pelo Império Serrano em 2013, seria uma grata alegria para todos nós. Mas segue de qualquer forma nossa homenagem, para este Santo, e para todos os seus seguidores.

“Eu andarei vestido e armado com as armas de São Jorge para que meus inimigos, tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me vejam, e nem em pensamentos eles possam me fazer mal.

Armas de fogo o meu corpo não alcançarão, facas e lanças se quebrem sem o meu corpo tocar, cordas e correntes se arrebentem sem o meu corpo amarrar…”

Que nosso Pai, Santo Guerreiro, nos dê vida, saúde e caminhos abertos, para que o carnaval carioca possa, sempre ter a capacidade de apresentar belas e ricas homenagens a toda história que tanto o povo africano nos ensinou, quanto os grandes estudiosos deste tema.

Axé!

(PORTAL DO SIDNEY REZENDE)

Anúncios