Em noite de consagração defensiva, o Fortaleza perdeu para a equipe do Náutico por 2 a 1 na noite desta quarta-feira (18), no Estádio dos Aflitos, em Recife. Mesmo perdendo, o Leão conquistou a classificação para as oitavas de finais, já que o Tricolor havia triunfado na primeira partida pelo placar de 4 a 0.

O atacante Jaílson abriu o placar aos 29 minutos da primeira etapa. O Náutico empatou com Marlon e virou com Léo, aos 02 e 35 minutos da etapa final.

O próximo desafio do Leão na Copa do Brasil é contra do Grêmio/RS. O clube se classificou após vencer as duas partidas contra o Ipatinga/SP, por 0x1 e 3×0.

O jogo

O time da casa manteve uma maior posse de bola durante toda a primeira etapa. Logo no início da partida, aos dois minutos, Eli Carlos recebeu bom cruzamento e, livre, cabeceou ao gol de João Carlos. A bola passou a direita do goleiro tricolor.

Enquanto o Náutico produzia jogadas em busca do gol, o Fortaleza se denfendia, mesma que não jogasse de forma retranca. Os atletas Tricolores erraram muitos passes e, somente, aos 26 minutos conseguiram chegar próximo ao gol do Náutico após uma tabelinha entre Kauê e Jaílson, que estava em posição irregular. Mas, três minutos depois, o atacante Jaílson recebeu ótimo lançamento e abriu o placar para o Leão. Após isso, o time visitante nada produziu.

Com a entrada de Siloé, o Naútico deu início ao segundo tempo de forma mais objetiva, tratando-se de produções e finalizações de jogadas ofensivas. Logo aos dois minutos, Marlon empatou após cruzamento de Ramon. Aos 35, depois de muito atacar, Siloé fez boa jogada e lançou Léo, que marcou o segundo do Náutico.

Durante todo a etapa final, a equipe de Recife atacou insistentemente, mas não conseguiu chegar ao terceiro gol. A equipe teria de fazer 5 x 1 para sair classificada da partida de hoje.

Mérito do setor defensivo

O Fortaleza não mostrou poder ofensivo na partida desta quarta-feira contra o Náutico. No primeiro tempo, o Leão só produziu a primeira jogada aos 26 minutos. Na etapa final, o Tricolor não organizou nenhuma jogada que pudesse ser definada em gol.

Em contra-partida, o sistema defensivo do Fortaleza ‘derramou’ muito suor. João Carlos fez grandes defesas e provou o porquê de ter conquistado a posição de titular tão rapidamente. Gilmak e Cléber, em destaque, protegeram, firmimente, a zona defensiva do Tricolor.

(Diário do Nordeste)