No nosso governo, entre 2005 e 2011, a cada mês foi criada praticamente uma escola municipal e três foram reformadas. E uma nova sala de aula foi criada a cada três dias. Além disso, os anexos foram reduzidos em 75% (de 155 pra 38). São 900 novas salas de aula, 287 escolas reformadas e 80 novas escolas criadas. 

Em 2005, as 55 creches existentes estavam fechadas. Já em 2011 eram 139 funcionando. A análise desses dados deve ser feita sabendo-se que temos a maior rede municipal de ensino do Nordeste e a quarta maior no País (456 unidades escolares e mais de 220 mil alunos). 

Quem não conhece Fortaleza talvez não saiba dos avanços na Educação. Mas eu fui vereadora desta cidade por dois mandatos, sendo presidente da Comissão de Educação e Cultura da Câmara. Ou seja, não é de hoje que acompanho o ensino em Fortaleza. Sistematicamente visitei escolas em situação deplorável. Com tampa de geladeira servindo de lousa e potes servindo de bebedouro. Despensas mofadas abrigavam macarrão e óleo como única opção de alimento e com a validade vencida!

Trouxemos essa experiência pra gestão. Voltamos o olhar para a gente mais necessitada. Estimulamos a participação popular. Das três escolas que inauguramos nos últimos dias todas foram demandas do Orçamento Participativo. É o povo escolhendo, decidindo.

Distribuímos grátis fardamento, mochila, agenda e a carteira de estudante. A merenda, antes caso de polícia, melhorou em qualidade e quantidade. Ofertamos transporte escolar gratuito a mais de 12 mil alunos por dia. Em 2004, 184 alunos com deficiência eram atendidos. Em 2011, já eram 2.599 (14 vezes mais).

Começamos a distribuição de notebooks para professores. Serão mais de 9.100. Um instrumento de trabalho que ajudará os profissionais a oferecerem um ensino com ainda mais qualidade. Outro avanço é a frequência escolar eletrônica.

A nossa gente mais pobre, cujo filho depende do ensino público, sente essas mudanças. Mas é preciso que todos saibam. Porque os resultados palpáveis só serão vistos a longo prazo.

E isso não pode se perder ou retroceder. Vamos divulgar e valorizar.

 

Luizianne Lins

luiziannelins@bol.com.br 

Jornalista e prefeita de Fortaleza

(O POVO ONLINE)