Todos os dias, milhares de pessoas têm o telefone celular clonado em todo o Brasil, de acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), mas a maioria não denuncia o fato aos órgãos competentes. Segundo o titular da Departamento de Polícia Especializada (DPE), delegado Jairo Pequeno, os usuários geralmente resolvem diretamente com as operadoras, não recorrendo à polícia.

Na Secretaria Municipal de Defesa do Consumidor de Fortaleza (Procon), os números também comprovam isso. Segundo o órgão, as últimas reclamações de clonagem de celulares são do ano de 2010. Para evitar que você tenha o telefone clonado e saber como proceder em caso de clonagem, o Jangadeiro Online dá algumas dicas.

Como o telefone é clonado?

A Anatel afirma que a clonagem ocorre geralmente quando o usuário está fora da área de mobilidade de origem, ou seja, em “roaming”, e operando em modo analógico. Para isso, o clonador obtém a combinação do código do aparelho ou do assinante por meio de monitoração ilegal do telefone habilitado.

Indícios de clonagem

– Dificuldades para completar chamadas;
– Quedas frequentes de ligação;
– Dificuldades para acessar a caixa de mensagens;
– Chamadas recebidas de números desconhecidos, nacional e internacional;
– Valor da conta telefônica muito acima da média.

Caso o consumidor perceba que teve o celular clonado, a primeira orientação da Anatel é entrar imediatamente em contato com a operadora telefônica e solicitar o bloqueio da linha. Caso a denúncia seja feita pelo telefone, o usuário deve anotar o nome completo do atendente, a data, a hora, o número do boletim gerado e, no caso de denúncia direta, obter cópia impressa da reclamação.

De acordo com o Regulamento do Serviço Móvel Pessoal, da Anatel, as operadoras telefônicas não podem cobrar do usuário as chamadas realizadas pelo clonador. Caso a prestadora não resolva o problema, mesmo depois de comunicada, o consumidor deve procurar a Agência Nacional de Telecomunicações ou os órgãos de defesa do consumidor.

Como se prevenir

– Consertar o celular somente em lojas autorizados ou em oficina da sua confiança;
– Revisar mensalmente o documento de cobrança;
– Controlar chamadas quando estiver viajando;
– Comprovar a procedência do celular com a nota fiscal, seja ele novo ou usado;
– Caso seja usado, consultar o Cadastro Nacional de Estações Móveis Impedidas (Cemi) para saber se o aparelho não é roubado.

(JANGADEIRO ONLINE)

Anúncios