Segundo dados divulgados na manhã de ontem, a população cearense cresceu em consumo de bens duráveis, com destaque para a aquisição de eletrodomésticos (como máquina de lavar roupas e televisores), e habitação (com melhoria da infraestrutura das residências). As informações são do Instituto de Pesquisa e Estatística do Estado do Ceará (Ipece), no informe entitulado “Análise da Evolução das Características dos Domicílios Cearenses em Termos da Existência de Bens Duráveis na Década de 2000”, realizado com base nos dados do Censo Demográfico 2010, disponibilizados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Neste informe foram estudadas informações concernentes à condição dos domicílios e a existência de bens duráveis, mais precisamente dados relacionados ao número de cômodos e tipo de revestimento das paredes das casas; presença de aparelhos de televisão, máquinas de lavar roupa, geladeiras, rádios, telefones, automóveis, motocicletas e microcomputadores em cada residência.

RESIDÊNCIAS
Constatou-se que grande parte das residências cearenses tinha, em 2010, paredes do tipo alvenaria com revestimento, com uma proporção superior à registrada pela região Nordeste e pelo Brasil. O Estado teve a maior fatia dos domicílios com quatro cômodos ou mais, enquanto que a proporção de residências que possuíam apenas um cômodo reduziu-se no Ceará no período 2000/2010, indicando uma melhora nas condições de infraestrutura habitacional da população cearense.
Verifica-se que em 2010 a maioria dos domicílios no Ceará (84,19%) tinha paredes do tipo alvenaria com revestimento, com um percentual superior a média regional (81,19%) e a do país (80,01%). 

BENS DURÁVEIS
A pesquisa também analisou bens duráveis em residências como máquina de lavar roupa, geladeira, rádio, televisão, telefone, automóvel, motocicleta e microcomputador. Essas informações serviram de base para avaliar alguns aspectos da evolução socioeconômica da população brasileira, nordestina e cearense, na década passada.

Em relação à existência de bens duráveis, constatou-se que as residências cearenses detinham uma maior proporção de aparelhos de televisão (94,4%), vindo em seguida a geladeira (87,89%), o rádio (78,78%) e a lavadora de roupas (17,2%). Ressalta-se que os avanços registrados na aquisição de bens duráveis pela população, nos últimos dez anos, evidenciam um avanço no padrão de consumo dos cearenses, superior ao País e ao Nordeste. O que pode representar também numa melhora relativa na sua qualidade de vida, dado que esses bens estão diretamente relacionados à renda das famílias.

No tocante a existência de automóveis e motocicletas nos domicílios, sendo estes os dois principais meios de locomoção individual das pessoas nas cidades, destaca-se que o Ceará, em 2010, apresentou proporção superior de 24,56% de residências com motos, do que o Nordeste (21,50%) e o Brasil (19,45%). Ademais, na região Nordeste e no Ceará, a quantidade de residências com motos foi superior à de casas com carros. E cerca de um quinto das residências cearenses possuíam microcomputador. 

Segundo o Ipece, percebe-se que nos últimos dez anos o Ceará conseguiu melhorar, na maioria das vezes, o padrão tanto da infraestrutura dos seus domicílios, como do consumo em relação aos bens duráveis acima da média nacional e nordestina. Essa evolução caracteriza um aumento do bem-estar e da qualidade de vida da população cearense na última década.

(OESTADO ONLINE)

Anúncios