Millôr nasceu no bairro do Méier, no Rio, em 16 de agosto de 1923, mas foi registrado oficialmente em 27 de maio de 1924. Com um ano, ficou órfão de pai e, aos 10 anos, de mãe.

  • Reprodução/TwitterMillôr Fernandes e a atriz Cristiana Oliveira


Outros cartunistas, humoristas e jornalistas também vieram a publico para lamentar a morte de Millôr. A atriz Cristiana Oliveira publicou no Twitter uma foto com Millôr ao lado da frase: “Vai com Deus mestre, filósofo, transgressor, polemico, genio, homem de luz!”.

Hélio de la Peña, do “Casseta e Planeta”, conta que teve o primeiro contato com o trabalho do artista pela revista “Veja”, na página de humor que ele assinava. “Lembro que ia no dentista quando era pequeno e ficava tentando entender, e não entendia nada”, conta. “Era um cara muito fera, e colocou o Méier no mapa do Brasil. Quem faz humor hoje, se diz que não teve influência do Millôr, está mentindo. O cara era impressionante.”

Outra passagem em que o humorista teve contato com Millôr foi no início da carreira: “Quando começamos a fazer jornal, resolvemos entregar uma edição na casa de cada famoso. Fui com o Bussunda e o Marcelo entregar um na casa do Millôr e estava super nervoso. Ele abriu a porta, dissemos que era um jornalzinho de humor, ele pegou o jornal e disse: ‘Façam sucesso e fiquem ricos’, e fechou a porta. Acho que foi um bom conselho.”

(UOL)

Anúncios