Um novo mapeamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) desmistificou uma informação muito conhecida pela população soteropolitana. De acordo com a pesquisa, diferente do que muitos pensam, a Liberdade não é o bairro mais negro de Salvador. Em números absolutos, o bairro com a maior concentração de negros é Pernambués – com 53.580 mil pessoas de pele parda e preta, diz o IBGE. Nesta lista, a Liberdade/ Curuzu não aparece nem entre os cinco primeiros.

Segundo o último estudo populacional de 2010, Salvador tinha 2.675,656 milhões de habitantes.  Desse número, 2.125,863 se declaram negras. Sendo assim, de acordo com o IBGE, 79% da população de Salvador é negra.

Depois de Pernambués, em segundo lugar, aparece o bairro de Itapoã (com 52.206 negros), seguido por Brotas (49.804), Paripe (46.505), Fazenda Grande do Retiro (46.476), São Cristóvão (45.505), Beiru/Tancredo Neves (43.523), São Caetano (43.162), Periperi (42.717), Boca do Rio em 10º lugar (38.447) e a Liberdade com (35.704).

Quando o assunto é proporção, ou seja, quando a comparação é feita entre o número de pessoas que se consideram negros e a população total do bairro quem aparece em primeiro lugar é Ilha de Maré, com 92,99 % da população negra. Em seguida aparecem Fazenda Coutos 90,57 %, Rio Sena 90,30 %, Moradas da Lagoa 90,12% e Pero Vaz 89, 87%.

Três Cajazeiras não existem
Outra curiosidade revelada pela pesquisa é que só existem oito Cajazeiras e não onze. De acordo com a pesquisa, a cajazeira 1, a cajazeira 3 e a cajazeira 9 não existem. Mas as outras oito juntas somam uma população de 60,213 mil. Já as quatro Fazendas Grandes totalizam 41,856 moradores. Juntas, as Cajazeiras e as Fazendas Grandes totalizam 102 mil habitantes aproximadamente. Sozinho, o bairro mais habitado de Salvador é Brotas, com 70.158 moradores.

(CORREIO24AM)

Anúncios