Forma-se uma polêmica daquelas no futebol cearense. O deputado Idemar Citó (DEM), em seu pronunciamento na manhã de ontem na Assembleia Legislativa, abriu o verbo e fez sérias denúncias contra a Federação Cearense de Futebol (FCF).  

Segundo o deputado, vice-presidente da entidade, há indícios de desvio de repasses de recursos, publicidade e direito de transmissão televisiva. “Não apenas isso. A CBF também encaminhou R$ 100 mil à FCF e este valor não foi repassado na totalidade”, reforçou, em entrevista ao O POVO. “A receita da venda de espaços publicitários entra no bolso de alguém”.

Citó quer abrir uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o caso. “Vou juntar assinaturas (necessárias para o procedimento). Isso aí resolvo. E quem passou as informações vai depor sem nenhum problema”, afirmou.

O deputado questiona seu isolamento na FCF. “Sou vice-presidente, mas sou boicotado. Não tenho acesso a nada nem status de nada. Não sei do caixa e nem os clubes têm acesso. Até o Estatuto da FCF eu nunca vi. É tudo escondido”, acusa Citó, reiterando que nem sala na sede da entidade ele possui.

O vice-presidente da FCF disse que conseguiu as informações por pessoas ligadas à entidade. “É gente que confio. E tem outras denúncias que ainda irão chegar”, promete, preferindo não expor os nomes das pessoas. “Essa esculhambação vem de muito tempo. Desde que ele (Mauro Carmélio, atual presidente) nem era presidente”. 

Cortesias e manipulação

Idemar Citó afirma ainda que há esquema de venda de cortesias para o Cearense e que os bilhetes seriam repassados a cambistas. Em outra prática ilegal, segundo o deputado, a FCF ainda estaria envolvido em esquema de manipulação de resultados para favorecer apostas. 

 

MANDATO NA FCF

Mauro Carmélio cumpre o mandato para o triênio 2010-2013. O presidente está no cargo desde dezembro de 2009.

 

HISTÓRICO NA FCF

Mauro Carmélio era vice de Mário Degésio (foto) e foi seu substituto na FCF. Antes disse, Carmélio foi também diretor jurídico.

 

12

Assinaturas são necessárias para a formação de uma CPI na Assembleia Legislativa. O regimento interno aponta 1/4 dos parlamentares.

 

100

Mil reais

Segundo o deputado Idemar Citó, a CBF repassou R$ 100 mil à FCF, mas nem todo o dinheiro chegou aos cofres.

 

Os pontos da acusação

 

O vice-presidente da Federação Cearense de Futebol (FCF), Idemar Citó, acusa o atual presidente da entidade, Mauro Carmélio, dos seguintes pontos:

 

1) Suposto desvio de recursos para publicidade e direitos de transmissão televisiva.

 

2) Os recursos de publicidade estariam “entrando no bolso de alguém”.

 

3) CBF teria repassado R$ 100 mil à FCF, mas o dinheiro não teria chegado em sua totalidade.

 

4) Suposto esquema de venda de cortesias do Campeonato Cearense. A FCF estaria vendendo ingressos a cambistas.

 

5) Suposto esquema de manipulação de resultados para favorecer apostadores.

 

6) Em sua opinião, falta transparência nos contratos de TV. 

 

 (Emmanuel Macêdo – O Povo Online)
Anúncios