Internautas espalhavam mensagens de apologia de crimes graves e da violência, principalmente contra mulheres, negros, homossexuais e nordestinos, além da incitação do abuso sexual de menores

emerson rodrigues blogueiro racista homofóbico

A PF (Polícia Federal) prendeu em Curitiba (PR) na manhã de quinta-feira (22) o blogueiro Emerson Eduardo Rodrigues(foto), 34, por pregar racismo e homofobia e anunciar um ataque a estudantes de ciências sociais da UnB (Universidade de Brasília). Contra ele, há mais de 70 mil denúncias no site Safernet.org, um recorde.

A polícia também prendeu Marcelo Valle Silveira Mello, amigo de Rodrigues. Ele mora em Brasília, mas estava em Curitiba quando a polícia o localizou. Os dois são os responsáveis pelo planejando do ataque à universidade.

Rodrigues é o autor do blog “O perdedor mais foda do Mundo”. Ele assina os posts como “Silvio Koerich”. Esse nome seria de uma pessoa com quem Rodrigues travou uma discussão em um fórum racista há dois anos.

Um dos mais recentes posts do blog — que até o começo da tarde de hoje ainda está no ar — afirma que os dois iriam massacrar negros e homossexuais e que, por isso, deixariam de atualizar o blog.

O conteúdo do blog revela que Rodrigues é um cristão fanático, além de homofóbico, racista e anticomunista.

No post de título “Que a justiça brasileira coma fezes”, onde diz que por telefone pode “mandar dar um tiro na mãe daquela bichona” [o deputado Jean Wyllys], ele afirma que “SÓ D’EUS PODE ME JULGAR. OS IMPUROS NÃO PODEM ME TOCAR.”

O nome de Rodrigues, que é engenheiro, e o seu endereço em Curitiba já tinham sido divulgados pelos hackers do grupo Anonymous. O fanático dizia em seu blog que estava no exterior.

A Polícia Federal estava acompanhando o fanático havia algum tempo e resolveu prendê-lo agora por causa da ameaça do ataque à UnB. No local onde foi preso, havia rascunho de um mapa de uma casa noturna próxima da UnB onde supostamente ocorreria o ataque.

Títulos de alguns de seus posts recentes: “Jovens ateus: pobres iludidos”, “Todas as mulheres são putas, inclusive a minha mãe” e “Está na hora de começar a agir, deixar o ódio fluir”.

Referências positivas ao massacre em Realengo

Agentes da PF também vão aos mandados de busca e apreensão para examinar as casas e locais de trabalho dos suspeitos em busca de provas.

Entre os conteúdos publicados pelos criminosos, havia referências positivas ao atirador Wellington, que em 2011 atacou a tiros uma escola em Realengo, no Rio, matando diversas crianças, bem como à suposta incapacidade da Polícia Federal em os localizar e deter.

Paulopes & Estadão