Ao menos 30 pessoas ficaram feridas nesta terça-feira no empurra-empurra de fiéis do lado de fora da catedral cairota de Abassiyah, templo que acolhe em seu interior o funeral do papa copta, Shenouda III. Milhares de coptas se aglomeram em frente ao templo, onde só é possível entrar com convite. O velório começou por volta das 10h30 (5h30 de Brasília).

No domingo, quatro pessoas morreram e entre 35 e 40 ficaram feridas pela grande massa de fieis junto à catedral, onde está sendo velado o corpo do pontífice, falecido no sábado aos 88 anos.

Dentro da catedral, o corpo de Shenouda III jaz deitado. Nos dois dias anteriores, o religioso foi exposto ao público sentado. As autoridades eclesiásticas oficiam o funeral, que começou antes do previsto, enquanto que no lado de fora do templo a polícia redobra a atenção para tentar manter a ordem.

Inúmeras personalidades egípcias assistem ao velório, incluindo dirigentes muçulmanos, candidatos presidenciais, membros da Junta Militar e representantes diplomáticos na capital egípcia.

Depois dessa etapa, o corpo de Shenouda será levado em helicóptero militar ao mosteiro de São Bishoy, no deserto de Wadi Natroun, na estrada entre Cairo e Alexandria, onde será enterrado de acordo com seu testamento.

O papa da Igreja copta, que sofria de várias doenças crônicas, morreu no sábado, deixando um grande vazio entre os cristãos egípcios, que representam 10% da população e são constantemente ameaçados com o avanço dos islamitas no país.

Designado em 1971 papa de Alexandria e patriarca da Igreja Copta Ortodoxa de São Marcos, a máxima autoridade dos cristãos egípcios nasceu em 1923 como Nazeer Gayed na província de Assiut, a 400 km ao sul do Cairo.

(PORTAL TERRA)