Um pernambucano foi preso no início da manhã desta quarta-feira (14), em Pedra Branca, no Sertão Central. Ele é acusado de participar do assalto ao Banco do Brasil de Catarina, no último dia 27/02, que culminou com a morte de um policial militar.

A princípio, a polícia acreditava que eram seis homens os envolvidos no assalto. Com a prisão do pernambucano, chegou a sete o número de acusados do crime. Houve um confronto entre polícia e acusados no último dia 04/03, onde quatro dos assaltantes faleceram, e um quinto homem saiu ferido. Acreditava-se que este ferido fosse José Roberto da Silva Duarte, o Zé Roberto, acusado de ser o líder da quadrilha. Entretanto, tratava-se do pernambucano preso hoje.

De acordo com o coronel Hervano Macêdo, o homem estava desarmado no momento da prisão, e estava sofrendo por conta dos ferimentos. “As pessoas durante estes dias telefonaram dizendo que havia uma pessoa lesionada e pedindo ajuda, mas ele sempre fugia e se escondia no matagal. Hoje ele foi localizado perto de Pedra Branca, acompanhado de duas pessoas suspeitas de tráfico de drogas”, explicou.

Segundo o coronel, as pessoas que acompanhavam o acusado foram presas e estão recolhidas na delegacia de Pedra Branca. O pernambucano foi encaminhado para a delegacia de Tauá.

Polícia continua caçada

As buscas por José Roberto da Silva Duarte, conhecido como Zé Roberto, e que é hoje o único remanescente daquela ação criminosa, continuam. O coronel Hervano informou que o efetivo que diligencia a operação conta com 19 homens. “A operação em si ainda continua com três equipes da PM, cada uma formada por quatro homens, uma equipe da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), de Fortaleza, e uma equipe da Coordenadoria de Inteligência (COIN)”, frisou.

dinheiro roubado no assalto já foi recuperado pela polícia, e o outro líder da quadrilha,Francisco Jânio Pereira Mota, foi preso no último dia 9, no distrito de Retiro, entre os municípios de Acopiara e Iguatu.

(DIÁRIO DO NORDESTE)