Uma das acusadas de superfaturar o amistoso entre Brasil e Portugal em novembro de 2008, Vanessa Precht emitiu cheques nominais no valor de R$ 10 mil para o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, informa o jornal Folha de S. Paulo

Os cheques, apreendidos pela Polícia Civil de Brasília no ano passado, seriam pagamento pelo arrendamento de uma fazenda do cartola, a Santa Rosa 3, à empresária, em acordo válido por cinco anos – no total, Teixeira receberia R$ 600 mil. Funcionários do local, porém, negam que na fazenda houvesse outro administrador além do dirigente da CBF.

A Santa Rosa 3 fica ao lado de outra fazenda de Teixeira, a Santa Rosa original, cujo endereço é o mesmo da VSV – empresa que tem como sócia a Ailanto, de Vanessa Precht e Sandro Rosell (presidente do Barcelona e amigo pessoal de Teixeira). Foi a Ailanto a responsável por organizar o amistoso contra Portugal, recebendo R$ 8,5 milhões do governo do Distrito Federal para realizar o jogo. A empresa é investigada pela polícia por suposto superfaturamento de valores de hotelaria e passagens aéreas das seleções brasileira e portuguesa.

(PORTAL TERRA)