A greve da Polícia Militar da Bahia, que já dura mais de uma semana, está provocando queda na venda de abadás nos dias que antecedem o Carnaval de Salvador, segundo os organizadores da folia.

“Tivemos uma redução de 30% na venda de abadás em relação ao ano passado”, disse Mateus Caldeira, diretor de vendas da Axé Mix, que comercializa abadás para os blocos Coruja e Cerveja & Cia., de Ivete Sangalo, Eva Convida, da Banda Eva, Me Abraça, do Asa de Águia, entre outros. “Certamente isso se deve à greve da Polícia Militar”, completou.

“Como a cidade está entrincheirada e as pessoas estão com medo de sair de casa, realmente percebemos uma redução de 20% na procura por abadás nas lojas físicas, mas as vendas online não tiveram diminuição”, disse Joaquim Nery, diretor da Central do Carnaval, que vende abadás para os blocos Camaleão, do Chiclete com Banana, Papa, de Claudia Leitte, e Nana Banana, de Timbalada e Chiclete com Banana, entre outros.

Os organizadores admitem que estão acontecendo conversações diárias com o governo da Bahia para tentar resolver a situação, mas negam que exista qualquer possibilidade de cancelamento do Carnaval. “É claro que estamos apreensivos, mas também estamos confiantes de que o impasse será resolvido. O governo precisa cumprir o seu papel. E temos certeza de que, depois de tantos Carnavais com poucas ocorrências, a PM não vai querer macular essa imagem”, afirmou Nery.

Na terça-feira (7), todas as entidades carnavalescas do Estado enviaram uma carta ao governador Jaques Wagner. “Estamos confiantes numa solução imediata para a questão que ameaça toda essa história. O Carnaval de Salvador precisa de um grande pacto que garanta a realização da festa. Não podemos esperar para amanhã”, diz a carta.

(MARINA AZAREDO – PORTAL TERRA)

Anúncios