Ser um campeão do UFC é difícil, mas mais complicado ainda é se manter no topo do MMA mundial por anos. E, nesse assunto, temos alguns representantes que são no mínimo experts.

Com cartéis irrepreensíveis, os campeões do maior evento de MMA do mundo Anderson Silva, Junior “Cigano” e Zé Aldo, assim como o peso-galo (61 kg) Renan Barão, possuem um fato curioso em seus cartéis.

Anderson Silva, Barão, Cigano e Zé Aldo são o time de frente do Brasil no maior evento de MMA do mundo, o UFC

Os quatro competidores citados foram derrotados no início de suas carreiras por compatriotas, sempre em eventos nacionais. E, com exceção do Spider que ainda acumula três insucessos diante de atletas japoneses, essas foram as únicas vezes que eles saíram do octógono sem a vitória.

No caso de Anderson Silva, seu algoz foi o paulista Luiz Azeredo, ainda no ano 2000, na estreia do evento curitibano Meca. Em seu terceiro combate de MMA, Anderson foi dominado pelo baixinho rival, que abusou das quedas para se esquivar do forte jogo de luta em pé do Spider.

A derrota por pontos, no entanto, parece ter dado motivação extra ao ex-atleta da academia Chute Boxe, que se destacou no Japão e Inglaterra até chegar no UFC, onde quebrou importantes recordes como número de vitórias seguidas e número de defesas seguidas do cinturão dos pesos médios (84 kg). Hoje, o atleta conta com 31 vitórias e apenas quatro derrotas.

Situação parecida é a de José Aldo, intocável entre os pesos-penas (66 kg), e que foi derrotado ainda em sua oitava participação no esporte. Depois do insucesso, o manauara venceu todas até acumular a incrível marca de 21 vitórias e apenas uma derrota.

O rival em 2005 era Luciano Azevedo, carioca especialista em luta livre e que soube evitar os fortes chutes do fenômeno da Nova União, levar o duelo para o chão e finalizá-lo com um mata-leão no segundo round.

Assim como Aldo, Renan “Barão” é membro da equipe Nova União e apontado como a maior promessa do MMA nacional, tanto que após a vitória sobre Scott Jorgensen, no UFC 143, o atleta já é o número um na lista de desafiantes do cinturão dos pesos-galos.

Mas com 18 anos e estreante na modalidade, o fenômeno não foi páreo para o resistente João Paulo Rodrigues e teve de amargar uma derrota por pontos, ainda em 2005. Azar dos próximos 28 adversários que saíram cabisbaixos do octógono.

Já o peso-pesado Júnior “Cigano”, que acumula 14 triunfos na carreira que chegou ao ápice após o nocaute sobre Cain Velasquez, que lhe rendeu o cinturão, foi finalizado no ano de 2007, quando fazia sua sexta luta profissional.

Seu adversário, Joaquim “Mamute” Ferreira já havia perdido para o catarinense radicado na Bahia, mas conseguiu aproveitar um vacilo do peso-pesado para encaixar um rápido armlock da guarda.

Hoje, os quatro atletas citados mostraram como superar um baque ou outro na carreira e, juntos, formam o time de frente do Brasil no maior evento de MMA do mundo, o UFC. Deles, apenas Barão “ainda” não é dono de algum cinturão.

(PORTAL R7)