Camocim A equipe da produtora Mutante Filmes, de São Paulo, dirigida por José Belluzo, esteve nesta cidade do litoral oeste do Estado, em Viçosa do Ceará e em Tianguá fazendo tomadas para o filme documentário sobre a missão do padre Antônio Vieira, no Nordeste. Segundo o professor, navegador e escritor Antônio Abreu Freire, autor da ideia do filme, foram feitas imagens com destaque no espaço entre a Praia do Xavier, em Camocim, e a sede do Município.

“Foram os caminhos que padre Antônio Vieira percorreu em março de 1660, quando chegou com uma comitiva de mais dois padres e cerca de 30 índios, ao Ceará”, relata. A missão do padre Antônio Vieira tinha saído três semanas antes de São Luís, do Maranhão, para onde agora a produtora Mutante Filmes está filmando. Conforme o professor Antônio Abreu, padre Antônio Vieira conta a viagem num texto que redigiu, o único sobre suas missões, intitulado “Relação da Missão da Serra de Ibiapaba”. Este relato será publicado no próximo livro de Antônio Abreu, que será editado pela Armazém de Cultura, em março deste ano.

Rio Coreaú

Na passagem pelo Ceará, vinda de Pernambuco, a Mutante Filmes fez ainda tomadas de cenas do Rio Coreaú e dos seus barcos tradicionais, sobretudo os botes com a grande vela de antena, muito semelhantes aos que eram usados na costa brasileira já no tempo de padre Antônio Vieira. De acordo com o professor Antônio Abreu, esse roteiro foi escolhido porque foi o itinerário do jesuíta na sua viagem até à Serra da Ibiapaba.

As filmagens no Ceará foram encerradas no último sábado em Viçosa do Ceará, onde foi fundada a missão de padre Antônio Vieira. “Já não resta nenhum vestígio da missão jesuíta que terminou tragicamente em 1661 com a expulsão dos seus padres e somente voltou a ser missão de 1690 a 1760”, constata o professor Antônio Abreu.

Segundo ele, a grande missão fundada pelos padres de Antônio Vieira conheceu tempos de grande perturbação e de grandes conflitos. A atual Igreja de Nossa Senhora da Assunção foi erguida pelo padre Gago a partir da retomada da empreitada missionária em Ibiapaba, no mesmo lugar da primitiva missão de São Francisco Xavier na região da Serra de Ibiapaba.

Já no início da primeira tentativa jesuítica, em 1607, descreve professor Antônio Abreu, a missão tinha sido interrompida pela morte do padre Francisco Pinto no ano seguinte, que tentara implantar o catolicismo em companhia de um jovem companheiro, o padre Luís Figueira.

Em Viçosa, foram filmadas a Igreja de Nossa Senhora da Assunção e os espaços que foram os mesmos visitados pelos missionários jesuítas.

“Isso para enquadrar a figura do padre Antônio Vieira no contexto real do espaço geográfico que hoje se nos oferece”, destaca Antônio Abreu, completando que assim o filme vai retratar de uma “maneira visual o tornar presente através do documentário e divulgar esta figura de um dos maiores brasileiros de todos os tempos”.

As filmagens em terras cearenses tiveram ainda gravados depoimentos do bispo da Diocese de Tianguá, dom Francisco Javier Hernández Arnedo e do pároco da Igreja de Nossa Senhora da Assunção de Viçosa do Ceará, padre Antônio Justino do Nascimento. O documentário sobre padre Antônio Vieira tem previsão de veiculação em escolas, universidades e circuitos fechados para setembro deste ano.

Trabalho de catequese

A missão de Padre Antônio Vieira por Viçosa do Ceará, que o documentário retrata, data da chegada dos jesuítas Luís Figueira e Francisco Pinto à cidade, vindos de Pernambuco, em 1607. Anos depois, em 1656, padre Antônio Ribeiro Pedro Pedrosa funda a missão jesuítica, missão fortalecida, em 1660, com a visita do padre Antônio Vieira.

Em 1700, os jesuítas, em pleno trabalho de catequese com os indígenas, construíram a Igreja de Nossa Senhora da Assunção, que a equipe do professor Antônio Abreu Freire filmou. Em 18 de maio de 1759, a missão foi encerrada com a expulsão dos jesuítas por ordem do Marquês de Pombal.

Para eliminar totalmente a influência jesuítica, foi criada, no dia 7 de julho de 1759, a Paróquia de Viçosa do Ceará, que foi entregue aos padres diocesanos.

Em 2003, o prédio foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) com o consentimento da Diocese de Tianguá, passando assim a fazer parte do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. A paróquia de Viçosa, contou, ao longo de sua história, até agora, com 26 padres.

A Zona Norte é rica em acervo tombado pelo Iphan, a exemplo de Viçosa, Camocim e Sobral. Prédios preservados mantêm viva a memória da história do Brasil. O documentário contribui também neste sentido.

Chegada

1660 foi o ano em que Padre Antonio Vieira chegou ao Ceará com uma comitivade mais dois padres e cerca de 30 índios, percorrendo terras hoje da Zona Norte.

Mais informações:

Documentário sobre
Padre Antônio Vieira
Blog http://www.antonioabreufreire.blogpessoal.comwww.ua.pt

(Lauriberto Braga – Diário do Nordeste)